Auto-isolamento de Braide põe favoritismo em risco…

Por Marco Aurélio D´Eça.

Novidade das eleições de 2016, candidato do Podemos deixou de ser surpresa para se transformar em expectativa em 2020, mas se mantem no mesmo estilo de quatro anos atrás, valendo-se exclusivamente do recall eleitoral, o que pode explicar a ainda residual, mas já perceptível queda nas pesquisas

Favorito nas eleições de 2020, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) foi uma espécie de azarão nas eleições de 2016; e chegou ao segundo turno naquele pleito, exclusivamente, por se tornar a surpresa do último debate. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Quatro anos depois, o que foi considerado surpresa virou expectativa, e todos esperam de Braide desempenho tão bom ou melhor que o de 2016.

Esta expectativa, combinada à sua postura de auto-isolamento, pode ser perigosa para o favoritismo do candidato do Podemos.

Em 2016, Braide teve pela frente candidatos tidos por inexperientes ou mesmo ruins de debate; em 2020, será confrontado por adversários como Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM), Bira do Pindaré (PSB), Carlos Madeira (Solidariedade), Rubens Júnior (PCdoB) e Adriano Sarney (PV), todos capacitados para o tète-a-tète.

Aliás, Adriano Sarney é tido como o responsável pela pá-de-cal nas pretensões de Braide quatro anos atrás, com um único discurso na Assembleia, que destruiu a postura de independência que o candidato do Podemos tentava passar na propaganda.

Com adversários sofríveis em 2016, Braide deitou e rolou, tornando-se a surpresa daquele debate; agora, a surpresa se tornou expectativa

sta postura equidistante do favorito nas pesquisas pode já estar refletindo nas pesquisas.

Ainda que residual – ou mesmo insignificante do ponto de vista da totalização – as pesquisas já mostram uma tendência de queda nos números do candidato.

Ele tinha 43,1% das intenções de voto em 22 de julho; menos de 20 dias depois, aparece com 39%.

Esses dados, por si só, podem ser irrelevantes para a disputa; mas somados a outros aspectos, como o isolamento do candidato, a força da militância dos adversários e a pancadaria da propaganda eleitoral podem ser significativos ao fim do primeiro turno.

Eduardo Braide precisa, portanto, sair do isolamento e se mostrar, de fato, à população.

Não apenas aos 40% que estão com ele, mas aos demais 60% que mostram preferir outro caminho…

Compartilhar

No Anjo da Guarda, pastores e lideranças comunitárias afirmam que Madeira é o melhor para governar São Luís

Por Reinaldo Luzan.

“Sou pastor a 28 anos, e nunca participei de campanhas até hoje, mas ao ouvir sua mensagem, sua história de vida e suas propostas, fui tocado em meu coração a fazer parte desta caminhada, pois vi verdade em suas palavras e sinceridade em sua intenção de fazer o melhor por São Luís. O senhor não é mais do mesmo, é alguém que foi preparado por Deus pera fazer a diferença entre os que aí estão como lobos em pele de ovelha”, exclamou diante de um grande público, o pastor José Maldo, presidente da Igreja Evangélica Pentecostal  Filadélfia, declarando apoio a pré candidatura de Carlos Madeira (SDD) a prefeito de São Luís.

Madeira esteve no Anjo da Guarda na noite desta segunda-feira (10), para participar do lançamento da pré candidatura da pastora Kaká (SDD) a vereadora. Na ocasião, ela reuniu diversos pastores e representantes de comunidades que também manifestaram apoio a Madeira. “Nossa pré candidatura vem do anseio da população de que nossa região precisa de representatividade, não aceitamos continuar sendo esquecidos pelo poder público. A área Itaqui Bacanga sempre foi usada, enganada e explorada, mas isso vai ter fim. Sou mulher, negra, mãe, esposa e pastora, e por isso tudo sei da responsabilidade que tenho, de junto com Dr. Madeira, construirmos uma São Luís melhor para todos”, frisou pastora Kaká.

Por sua vez, em tom emocionado, com a calorosa recepção e manifestações de apoio emblemáticas, Madeira disse que o fortalecimento de sua pré candidatura vem de pessoas que, assim como ele, não aceitam mais uma política feita com interesses pessoais, para acumular poder e nada fazer pelas pessoas.

Acompanhado do secretario de segurança Jefferson Portela, Madeira foi muito aplaudido ao falar de suas propostas para a região Itaqui Bacanga e conclamou a todos para que façam um grande levante em favor da mudança. “Aqui não tem espaço para a velha política, pois nós não nos confundimos com os parasitas que dizem exercer o poder em nome do povo e que, na realidade nunca o fazem. A nossa luta é antes de tudo, contra o desrespeito aos direitos básicos de cada cidadão. É por isso que nossa luta não pode ser a luta de um, nem de uns poucos: é a luta da maioria, é a luta dessa região”, finalizou.

Estiveram também no evento, a vereador Ana Lucia, de Paço do Lumiar; pastor Edelson Chagas, pres. da Assembleia de Deus Missão Brasileira; pr. José Ribamar, da Igreja Batista Boas Novas, no Anjo da Guarda; pastor Israel Trovão e pastora Sandra, da Assembleia de Deus Luz e Vida, no Maracanã; pastor Billy, da AD Missão Brasileira, dentre outros.

Compartilhar

Rubens Júnior: um fardo pesado demais para Flávio Dino

Por Marco Aurélio D´Eça.

Às voltas com nova especulação sobre desistência, o candidato comunista insiste em tentar apresentar-se como candidato do Palácio dos Leões, o que gera desgaste, inclusive nacional, tanto para o governador quanto para o PCdoB

Em campanha desde que assumiu a Secretaria de Cidades com orçamento milionário, ainda em 2019, o deputado Rubens Pereira Jr (PCdoB) é o único candidato a enfrentar, quase semanalmente, boatos de desistência da candidatura.

Isso ocorre porque, mesmo com toda estrutura disponibilizada, o comunista não consegue deslanchar nas pesquisas.

Pereira Júnior virou uma espécie de bobo da corte na campanha, tendo que reafirmar dia após dia uma candidatura que não sai do traço nas pesquisas.

 E ao vender-se como candidato de Lula e de Flávio Dino, ele expõe não apenas o PCdoB, mas o próprio governador.

Inclusive nacionalmente.

Às vésperas das convenções, Pereira Júnior voltou nesta sexta-feira, 7, a reafirmar sua candidatura, de novo sob especulação de desistência.

E a insistência de relacionar seu nome ao de Dino tem irritado o governador.

Flávio Dino já considera o fardo pesado demais para carregar.

Compartilhar

Madeira segue ampliando rede de adesões

Por Marco Aurélio D´Eça.

Com jogo de cintura de causar inveja em raposas da política, ex-juiz vai construindo alianças que prometem repercutir durante as convenções

Mais novo na seara política entre os pré-candidatos a prefeito de São Luís, o ex-juiz federal José Carlos Madeira tem demonstrado um jogo de cintura de fazer inveja a velhas raposas que já atuam na vida pública há muito tempo.

Madeira vem costurando apoios importantes pelas beiradas, “na periferia da política”, como ele mesmo diz.

E tem tirado proveito em diferentes segmentos sociais da capital maranhense.

O pré-candidato do Solidariedade sabe que o seu grande desafio é o tempo. Reconhece que ainda precisa ser mais conhecido para receber, no momento certo, a confiança plena do eleitor.

Mas segue com entusiasmo costurando alianças pelas beiradas e fortalecendo a sua base de apoio.

Ao mesmo tempo em que se reúne com lideranças anônimas da periferia, ampliando a sua rede de alcance popular, Madeira mantém encontros diários com figuras importantes do meio político, cultural, religioso e empresarial.

 Alguns desses encontros, segundo analistas do meio político, são silenciosos, sem qualquer alarde, mas que vão causar impacto num futuro próximo, antes das convenções partidárias.

Esta semana, ao lado dos secretários estaduais Simplício Araújo, da Indústria e Comércio, e Jefferson Portela, da Segurança, reuniu mais de uma centena de empresários de diferentes ramos de atuação que lhe hipotecaram apoio no projeto de caminhada rumo ao Palácio La Ravardiére.

“Madeira passa verdade, comprometimento com a nossa cidade. Ele representa a unidade que precisamos, tem experiência e nos traz esperança enquanto empreendedores. É uma pessoa que dialoga com todos os segmentos, que de fato conhece São Luís”, é o que diz a ex- presidente da Associação Comercial do Maranhão, Luzia Rezende, uma das empresárias que estiveram na reunião com o ex-juiz federal.

Compartilhar

MADEIRA DIZ QUE PRETENDE CONSTRUIR UM NOVO AMBIENTE DE PACIFICAÇÃO DAS LIDERANÇAS POLÍTICAS DO ESTADO

Por Jorge Vieira.

Esta semana o pré-candidato do Solidariedade a prefeito de São Luís, ex-juiz federal Carlos Madeira, teve um encontro com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), acompanhado do secretário de Segurança do Estado Jefferson Portela, um dos apoiadores de sua candidatura, e logo surgiram as especulações sobre uma possível aproximação entre os dois partidos visando a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Em conversa com o titular deste blog nesta manhã de sexta-feira (7), Madeira observou que, embora gostasse de ter o MDB em seu palanque, a conversa com a ex-governadora teve outra finalidade: construir um ambiente de pacificação entre as diversas lideranças políticas do Estado que se encontram em lados opostos.

“Nossa conversa foi apenas para registrar nossa intenção em construir um ambiente de pacificação entre lideranças que estão em campos opostos, por conta desse Novo Normal. Estou defendendo que o Novo Normal seja trazido para a política e, assim, possamos construir novos pactos, novas alianças em favor da administração da cidade”, defende o representante do Solidariedade.

O blog questionou se existe alguma possibilidade do MDB apoiar sua candidatura e Madeira respondeu que “não houve nenhum avanço” e que não há perspectiva de aliança com outro partido. “O arco está praticamente fechado. Estou trabalhando com a possibilidade, infelizmente, de seguirmos sozinhos”.

Tempo de televisão – Ao ser questionado se o pouco tempo que terá no horário da propaganda eleitoral no rádio e televisão por conta da falta de aliança não poderá ser prejudicial à candidatura, o ex-juiz federal observou: “O tempo de televisão tem a sua devida importância numa campanha eleitoral. Não se pode negar isso. A TV tem grande audiência e ainda influencia muito no processo eleitoral, mas não podemos dizer que seja um fator determinante na decisão soberana do eleitor”.

Madeira destaca ainda que há casos emblemáticos recentes que justificam o que ele argumenta. “Hoje a comunicação digital tem um peso enorme nas eleições. E neste pleito de 2020, em especial, em decorrência do distanciamento social, as redes digitais serão ainda mais impactantes nas eleições municipais”.

Para o candidato do SDD “a TV tem um tempo de preparação, de confecção de programa, de edição de falas, ou seja, às vezes se perde muito tempo para se dizer algo que nem sempre soa verossímil ao cidadão comum, porque a informação chega editada, maquiada. Já nas redes sociais, no WhatsApp, a informação é quase em tempo real, instantânea e espontânea”.

Segundo Carlos Madeira, o programa eleitoral na TV pode até ditar o ritmo da campanha, mas não chancela a vitória de um candidato. “Há casos em que o tempo de TV em excesso é um problema, e não uma vantagem. Na televisão, assim como nas plataformas digitais, você deve dizer o necessário, de maneira que o eleitor assimile como verdadeira a sua mensagem”.

Compartilhar

Madeira agradece apoio de Afonso Manoel e Helena Duailibe

Por Diego Emir.

O pré-candidato a prefeito de São Luís, Carlos Madeira (SDD), voltou a enfatizar seu agradecimento ao vereador Afonso Manoel e a deputada estadual Helena Duailibe, pelo apoio que estão concedendo ao longo dessa pré-campanha. De acordo com o juiz aposentado, a dupla tem apresentado seu nome em diversas comunidades e também a lideranças comunitárias na capital maranhense.

“Você que é amigo de Afonso Manoel, você que é amigo de Helena Duailibe, seja meu amigo, nos ajude a fazer uma grande caminhada em São Luís”, afirmou Carlos Madeira.

“Meu agradecimento profundo a Afonso Manoel e Helena Duailibe”, exaltou Carlos Madeira que participou de uma reunião com diversas lideranças no último domingo (2).

Veja o vídeo a seguir:

Compartilhar

“Momento histórico”, diz Ivaldo Rodrigues em inauguração da reconstrução do Mercado do Coroadinho

O vereador Ivaldo Rodrigues esteve na inauguração do Mercado do Coroadinho, que faz parte de um programa de reforma dos mercados da capital, um trabalho que tem envolvimento direto do vereador, quando este ainda estava comandando a Semapa. Ivaldo afirmou que estava feliz em poder entregar para a população um estabelecimento digno e recebeu elogios da presidente do Sindicado dos Feirantes do Maranhão.

https://www.instagram.com/p/CDUoN80HZ5G/?igshid=1o9088rknpjkj
Compartilhar

Produtores lamentam episódio ocorrido na live de Mara Pavanelly

Por Luis Cardoso.

Nota de Esclarecimento

O jornalista Luis Cardoso, dono da Assessoria Avançada, e o produtor cultural Kleber Moreira agradeceram hoje a cantora Mara Pavanelly por ter participado da maior live solidária do Maranhão e, ao mesmo tempo, elogiaram o espírito humanitário do proprietário do Val Paraíso, o juiz federal aposentado, Carlos Madeira, que cedeu o espaço gratuitamente para sediar o evento, que resultou em doações de toneladas de alimentos que serão entregues pela Cruz Vermelha Brasileira – Maranhão, a partir da próxima semana.

A cantora aceitou nosso convite e veio oferecer entretenimento com seu talento e arte, além de fortalecer os pedidos de doações aos que tanto necessitam neste momento de pandemia. A Mara tem um público gigantesco no Maranhão e Brasil. Tivemos que não permitir o acesso de caravanas que se deslocaram do interior imaginando que se tratava de um show da sua cantora predileta.

Uma viatura esteve no local com policiais da PMMA na metade do tempo da realização da live e ficou constatado que não havia aglomeração, mas apenas a presença de pessoas que gentilmente ajudaram nas doações. Porém, uma hora depois houve acumulo e fomos obrigados pela direção do espaço a encerrar antes do prazo previsto.  O que se tem observado no país que em lives musicais chega a ser incontrolável a presença de fãs, como em casos até em beira de rios ou lagos.

O que foi observado na exposição do episódio foi a exploração política em razão do Doutor Carlos Madeira ser pré-candidato à sucessão municipal de São Luís e por ter crescido nas pesquisas. O vídeo, que mostra a presença de menos de 60 pessoas no local, foi feito por um motorista de um deputado estadual que é pré-candidato a prefeito da nossa capital.

O nosso amigo Madeira apenas cedeu o espaço, assim já fez várias vezes para outros eventos solidários sem nada cobrar, embora tenha despesas com energia elétrica, internet, e seu pessoal em horário extra. Na liva da “Mara na Ilha” ele nem esteve no local e muito menos seus familiares.

Queremos agradecer também aos que fizeram doações pelo espírito humanitário e por querer ajudam aos que passam por necessidades com a fome em todo o corpo. Informamos ainda que não houve no local nenhum tipo de tumultuo, confusões ou agressões.

Nós produtores do evento pedimos desculpas se houve excesso e falta de controle que evitasse acúmulos. E iremos seguir em frente com os cuidados necessários.

Luis Cardoso

Kleber Moreira

Compartilhar

AGLOMERAÇÕES – SÓ É ‘PERMITIDO’ PARA OS POLÍTICOS; QUEM GERA EMPREGO, OS RIGORES DA LEI…

Por Martin Varão.

A determinação do Governo do Estado que proíbe aglomerações, mas os rigores da lei tem dois pesos e duas medidas para a mesma situação.

Evento com grande aglomerações de pessoas da pré-candidata Detinha – Governo não se manifestou…

Alguns  pré-candidatos a prefeito de São Luís estão usando no descumprimento. Observe que é só a iniciativa privada ligada ao setor de eventos – geradora de emprego e renda para a população,  tentar ‘respirar” no meio a pandemia para ser multado e o evento lacrado.

Os eventos privados na Península causaram o maior furor. Ontem uma live numa casa fechada e privada os rigores do Estado…

Evento na sede do PDT do pré-candidato Neto Evangelista…

No Valparaiso foram feitas mais de 20 lives solidárias, todas realizadas por produtores e pelos próprios artistas, que ficavam responsáveis pela logística e pelos cuidados sanitários envolvendo a captação das imagens. Em todas as vezes, em razão de serem eventos solidários, cedíamos o espaço gratuitamente. O Valparaiso não alugou espaço, não ganhou dinheiro algum e não teve participação em eventuais lucros.

Ao contrário, teve custos com internet, com energia elétrica e com funcionários da parte técnica. O Valparaiso cedeu o espaço para apoiar artistas e pessoas que se propunham a fazer ações solidárias.

No caso da live da Mara Pavanelly, o jornalista Luís Cardoso solicitou o espaço e o Valparaiso, mais uma vez, cedeu. Havíamos cedido antes para o mesmo jornalista fazer uma live de um outro artista, Bruno Shinoda, que cumpriu as regras sanitárias quando da sua realização.

Na live de ontem, da artista Mara Pavanelly, não havia ninguém da Diretoria no local, mas apenas funcionários da área técnica. O acesso de pessoas ficou sob controle total dos produtores, ou seja: cabia a eles permitir ou negar acesso de pessoas ao local.

Assim como a sociedade ludovicense, a diretoria e gerência tomou conhecimento de vídeos já durante a madrugada e encarou com perplexidade e incredulidade o que havia se tornado a live solidaria.

Ou seja, o realizador da live, descumprindo regras sanitárias mínimas, levou convidados para assistirem a live e, infelizmente, promoveu aglomerações.

Quando ciente, a Gerente Geral da empresa comunicou que chegou ao local e que a live já havia encerrado, em torno de meia-noite.

A Secretaria de Saúde tem total razão; o Departamento Jurídico da empresa vai cuidar do assunto. Pedimos sinceras desculpas à sociedade maranhense e registramos que iniciamos contato com a produção da live para entender os motivos da mudança do formato do evento.

Compartilhar