Justiça anuncia que eleições de 2016 vão voltar a ser manuais sem uso de urnas eletrônicas

Por falta de dinheiro, as eleições municipais de 2016 serão realizadas manualmente. É a primeira vez que isso acontecerá desde 2000, quando todo o eleitorado brasileiro começou a votar eletronicamente. A informação de que o contingenciamento impedirá eleições eletrônicas foi publicada no DOU (Diário Oficial da União) desta segunda-feira, 30.
“O contingenciamento imposto à Justiça Eleitoral inviabilizará as eleições de 2016 por meio eletrônico”, diz o artigo 2.º da Portaria Conjunta 3, de sexta-feira (27). O texto é assinado pelos presidentes dos STF (Supremo Tribunal Federal), TSE (Tribunal Superior Eleitoral), STJ (Superior Tribunal de Justiça), TST (Tribunal Superior do Trabalho), STM (Superior Tribunal Militar), TJDF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal) e respectivos conselhos.
A portaria afirma ainda que ficam indisponíveis para empenho e movimentação financeira um total de R$ 1,7 bilhão para STF (R$ 53,2 milhões), STJ (R$ 73,3 milhões), Justiça Federal (R$ 555 milhões), Justiça Militar da União (R$ 14,9 milhões), Justiça Eleitoral (R$ 428,9 milhões), Justiça do Trabalho (R$ 423 milhões), Justiça do Distrito Federal (R$ 63 milhões) e Conselho Nacional de Justiça (R$ 131 milhões).
As urnas eletrônicas foram usadas pela primeira vez em 1996. Mas somente nas eleições de 2000 todo o eleitorado votou eletronicamente.
Compartilhar

Tribunal de Justiça do Maranhão: Suspeita de desvio de mais de R$350 mil em obra do Fórum de Caxias

forumcaxias

Mais uma grave denúncia abala a atual direção do Tribunal de Justiça do Maranhão. Em documentos expedidos por membros da alta corte do judiciário maranhense – que este jornalista teve acesso – é possível detectar que houve gastos e efetuação de pagamentos de materiais e serviços não realizados no Fórum de Caxias. De acordo as planilhas e ofícios um montante superior a R$350 mil pode ter sido desviado.
No dia 12 de agosto de 2015 era para ter início o serviço de reforma do sistema elétrico de proteção contra surtos, quadro de distribuição e sistema de iluminação do Fórum da Comarca de Caxias pela empresa Qualitech Engenharia Ltda. A Ordem de Serviço 09/2015 apresentava que o trabalho desenvolvido custaria R$165.207,27 e a obra seria concluída até o dia 15 de setembro de 2015 (conforme planejamento expresso em documento).
cleonicedenuncia4 - Copia

Ordem de Serviço 004/2015 autorizando Qualitech Engenharia LTDA realizar obras e manutenção no valor de R$165.207,27
Entre as atividades descritas pela Ordem de Serviço 004/2015 a serem feitas pela Qualitech estavam obras de demolição, remoção de telhado, tubulações e quadro de energia, assim como impermeabilização e pavimentação de pisos. No entanto, o diretor do Fórum de Caxias, Paulo Afonso Vieira Gomes, aponta em ofício enviado a juíza Sônia Maria Amaral Fernandes Ribeiro (Assessora de Gestão Estratégica e Modernização do TJMA) no dia 24 de novembro de 2015, que“nenhum dos serviços de manutenção predial foi executado por parte da empresa Qualitech Engenharia Ltda”.
cleonicedenuncia5 - Copia

Ordem de serviço apresenta os prazos: inicio dia 12 de agosto e término dia 15 de setembro
Ainda no mesmo ofício de número 872015, o diretor Paulo Afonso aponta outra distorção de gastos e serviços apresentados por planilhas do Tribunal de Justiça do Maranhão. De acordo com o responsável pelo Fórum de Caxias outra ordem de serviço de número 009/2015 que autorizava a compra de materiais de construção no valor de R$235.163,03 não foi cumprida.
cleonicedenuncia2 - Copia

Ordem de Serviço que autorizava compra de materiais e realização de serviços no valor de R$235.163,03 é marcada com os produtos adquiridos
No documento expedido a assessoria de Gestão Estratégica e Modernização do TJMA, Paulo Afonso diz que apenas os seguintes materiais foram entregues: disjuntores (monopolar e tripolar), cabos de cobre, lâmpadas fluorescentes, refletores, reatores e ponto lógico com caneletas. Restando a entrega de cabos de cobre, interruptores, hastes de aterramento, captor em Franklin, além de serviços que seriam desenvolvidos.
cleonicedenuncia3 - Copia

O diretor Paulo Afonso em ofício anuncia a não aquisição de parte do material e dos serviços não realizados
Somando os valores dos produtos entregues, houve apenas um gasto efetivo de R$46.255,17 na compra do material. Valor bem destoante da nota apresentada de R$235.163,03. Dessa forma um valor de R$188.907,86 foi irrigado para outra fonte da ordem de serviço 009/2015.
Totalizando os valores em serviços não realizados e materiais não comprados, houve um suposto desvio de R$354.115,13 de recursos do Tribunal de Justiça do Maranhão, uma vez que ocorreu a autorização de pagamento das ordens de serviços no valor de R$400.370,30. É necessário ressaltar que no dia 20 de novembro de 2015, a juíza Sônia Maria Amaral Fernandes Ribeiro enviou um ofício notificando a Comarca de Caxias para que desse o “OK” quanto à realização dos serviços de manutenção no Fórum para efetuar o pagamento. Paulo Afonso teria 10 dias para emitir uma resposta, porém a mesma já foi feita desde o dia 24 e agora cabe apuração.
cleonicedenuncia8 - Copia

Ofício da juíza Sônia Maria Amaral
Além da negativa da realização dos serviços e da entrega dos materiais em resposta a juíza Sônia Amaral, o diretor do Fórum de Caxias relata que há um“desconforto e desconfiança por parte do jurisdicionado local quanto à segurança na estrutura da obra”, que apresenta uma deterioração predial com presença de rachaduras.
A presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, Cleonice Freire, precisa vir a público prestar esclarecimento dos valores apresentados e dos que foram realmente efetuados.
blog Diego Emir
Compartilhar

Poeta Nauro Machado (Foto: Flora Dolores/O Estado)Poeta Nauro Machado (Foto: Flora Dolores/O Estado)

O poeta e escritor maranhense Nauro Machado morreu na madrugada deste sábado (28) em São Luís após realizar uma cirurgia no intestino. Ele tinha 80 anos e estava internado desde terça-feira (24) em um hospital da capital. O velório está marcado para este sábado na Academia Maranhense de Letras (AML), a partir das 10h30.

Nauro Machado era um dos mais importantes literários da história do Maranhão. Tinha 37 livros publicados, foi um poeta autodidata que retratou através da arte sua visão e sentimento do mundo. Sua obra também foi reconhecida pela Academia Brasileira de Letras (ABL).

O ex-Presidente da República e membro da ABL, José Sarney, lamentou profundamente a perda de Nauro Machado. “O Maranhão perde um grande poeta. Nauro Machado talvez tenha sido a figura que mais produziu na poesia no Maranhão dos últimos tempos. Nenhum dos nossos poetas conseguiu fazer uma obra do tamanho e da profundidade de Nauro Machado. A sua vida era um poema e ele morre deixando uma obra insuperável que vai ficar na literatura maranhense e brasileira”, disse.

Já o presidente da Academia Maranhense de Letras, Benedito Buzar, exaltou o talento do poeta. “Nauro é uma figura extraordinária, um poeta excepcional. Nauro, se tivesse saído do Maranhão, seria reconhecido nacionalmente, mesmo assim a crítica da literatura nacional também reconhece o seu trabalho. Ele escolheu ficar aqui e viver aqui ao lado do povo de São Luís. Ele sempre foi um poeta que o povo admirou e deixa um legado grande e que jamais será esquecido. Ele faz parte da constelação dos grandes poetas que o Maranhão produziu na Atenas Brasileira”, afirmou.

No início de agosto, a Academia Maranhense de Letras fez uma homenagem aos 80 anos do poeta. Ele nunca quis ser um imortal da academia, recusando todos os convites que lhe foram feitos. No dia da homanagem, o presidente da AML, Benedito Buzar, disse que Nauro Machado só não era um imortal porque não queria. “Todas as vezes que se abre uma vaga aqui, Nauro é convidado. Mas, ele tem as razões pelas quais ele não quer entrar”, disse.
Carnaval
Em 2002, o poeta Nauro Machado foi homenageado pela escola de samba Turma do Quinto. Com o enrredo “Nauritânia, a Poesia de Barbas Brancas”, a escola venceu o carnaval de passarela de São Luís naquele ano. A letra do samba enfatizava frases e o estilo de vida do poeta
 Poesia
Uma das marcas do poeta Nauro Machado era retratar o cotidiano maranhense com simplicidade e liberdade poética. “A poesia do Nauro Machado se caracteriza pela liberdade.  Ele não se vinculou a nenhum estilo, a nenhuma escola literária. Ele tinha um domínio da técnica poética e podia se dar essa liberdade. Nauro foi um grande lírico, mas também um grande cronista”, relembrou o ex-Presidente José Sarney.

No dia 12 de novembro de 2014, o poeta tinha lançado seu último livro “Esôfago Terminal”, inspirado na sua luta contra o câncer de esôfago que começou em 2012. Nauro Machado havia se curado da doença.  No lançamento do livro ele disse:“A doença é algo inominável, inconcebível, mas acontece com qualquer um. Então, nó nos perguntamos: ‘por que eu?’. E, logo, o universo replica: ‘e por que não você?’”.

    
Poema do Ofício
Ocupo o espaço que não é meu, mas do universo. Espaço do tamanho do meu corpo aqui, enchendo inúteis quilos de um metro e setenta e dois centímetros, o humano de quebra. Vozes me dizem: eh, tu aí! E me mandam bater serviços de excrementos em papéis caídos numa máquina Remington, ou outra qualquer.
E me mandam pro inferno, se inferno houvesse pior que este inumano existir burocrático.
E depois há o escárnio da minha província.

E a minha vida para cima e para baixo, para baixo sem cima, ponte umbilical partida, raiz viva de morta inocência.
Estranhos uns aos outros, que faço eu aqui?
E depois ninguém sabe mesmo do espaço que ocupo, desnecessário espaço de pernas e de braços preenchendo o vazio que eu sou.
E o mundo, triste bronze de um sino rachado, o mundo restará o mesmo sem minha quota de angústia e sem minha parcela de nada.
Compartilhar

OKAMOTTO: BUMLAI NÃO ERA TÃO AMIGO ASSIM DE LULA… SERÁ?

247 – O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, afirmou nesta terça-feira 24 que o empresário José Carlos Bumlai, chamado com frequência de “amigo de Lula” pela imprensa brasileira e preso hoje pela 21ª fase da Operação Lava Jato, não era tão próximo assim do ex-presidente.
Okamotto também negou que o pecuarista tivesse “passe livre” no Palácio do Planalto durante o governo Lula, conforme apontaram reportagens e como sugere o nome da nova fase da operação: Passe livre. “O Bumlai frequentava as festas e aniversários, mas não era ‘aquele’ amigo do Lula que todo mundo está falando”, minimizou.
“Isso foi amplamente divulgado pela imprensa mas acho difícil de acreditar. Eu sou mais amigo do Lula do que o Bumlai e precisava me identificar toda vez que ia ao Palácio. Essa história não é crível”, acrescentou o auxiliar do ex-presidente há mais de 30 anos, segundo reportagem do jornalista Ricardo Galhardo, do Estadão.
Questionado se acha que Lula é o alvo da PF, respondeu: “acho que não. O que a PF está fazendo é investigar. É natural. Cada um sabe o que fez mas a gente não sabe o que as outras pessoas fazem”.
Em coletiva de imprensa nesta manhã, o superintendente da PF no Paraná, Rosalvo Ferreira Franco, chegou a dizer que o nome da nova fase da operação estava relacionado ao “alvo principal”. Depois, o procurador Carlos Fernando Lima destacou que não há nenhum fato concreto contra Lula, apenas o uso do nome do ex-presidente (leia mais).
Na decisão em que determinou a prisão de Bumlai, o juiz Sérgio Moro também afirmou que “não há nenhuma prova contra Lula”. A prisão do pecuarista, segundo Moro, foi feita também para conter eventuais danos à reputação do ex-presidente (leia mais).
Compartilhar

Prefeitura firma parcerias para apresentar acervo de museus a estudantes

Prefeitura apresenta acervo de museus a estudantesFomentar a curiosidade acerca do patrimônio dos museus de São Luís e colaborar com a implantação de espaços de memórias nas Unidades de Educação Básica (U.E.B.) da rede municipal. Esses são alguns objetivos do projeto Museu na Escola, fruto de uma parceria da Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), com o Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho. A iniciativa conta ainda com a parceria do Serviço Social do Comércio (Sesc) e as empresas Radima Artes Produções e M4 Impressões.
As exposições fotográficas são um dos recursos utilizados para possibilitar às crianças e adolescentes da rede municipal o conhecimento acerca das manifestações culturais maranhenses. As U.E.B. Rubens Ferreira Rosa (Vila Nova República), Prof. Luzenir Mata Roma (Maracanã), Estudante Edson Luís de Lima Souto (Gancharia) e U.E. B Thomaz de Aquino Andrade (Vila Lobão) foram as primeiras escolas contempladas com o projeto, que tem caráter itinerante e desenvolve suas atividades em cada escola por um período de 15 dias.
Ao estimular a valorização e a preservação do patrimônio histórico da cidade ao mesmo tempo em que contribui com a educação dos estudantes, a iniciativa vai de encontro à política do prefeito Edivaldo para as áreas da Educação e Cultura. O secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, frisou a importância da atividade. “O museu tem valor excepcional porque guarda a memória de um povo. Assim, é uma oportunidade de levar aos nossos estudantes um pouco da cultura popular e estimular a preservação do nosso patrimônio. Ao reviver esse passado nas exposições fotográficas levadas para as escolas, nossas crianças e adolescentes tem a oportunidade de fazer reflexões críticas e compreender nossa cultura”, disse o titular da Semed.
CULTURA
Samia Rafaella Vieira, coordenadora do projeto, explicou que a iniciativa surgiu da necessidade de levar aos estudantes de escolas públicas mais informações sobre a história local e despertar neles interesse de visitar os museus da cidade. “As crianças na nossa cidade nem sempre tem conhecimento da existência de espaços como esse e também nem sempre tem a oportunidade de visita-los. Sendo assim, levamos o museu até elas e fazemos a introdução ao mundo da arte, das histórias, da cultura e do passado,” ressaltou.
EXPOSIÇÃO
Esta semana, as atividades do projeto estão sendo desenvolvidas na U.E.B. Thomaz de Aquino, com oficinas para os estudantes na área de Educação Patrimonial. A escola também recebeu uma exposição fotográfica sobre manifestações da cultura popular maranhense. Kleydison Martins Rodrigues, de 11 anos, gostou da exposição. “O que me chamou mais a atenção foram as imagens das nossas danças tradicionais, como o tambor de crioula e o cacuriá. O colorido das roupas impressiona, temos uma riqueza enorme na nossa cultura”, contou.
O projeto despertou em Thassila Elen Costa dos Santos, de 11 anos, a vontade de conhecer de perto como é um museu. “Nunca visitei nenhum, mas espero ter a oportunidade de presenciar logo essa cultura. Gostei muito da exposição aqui na escola”, disse Thassila.
OBRAS
A programação também contou com apreciação de obras artísticas, estudo e valorização da cultura maranhense e oficinas educativas para os estudantes. “É um privilégio podermos oferecer aos nossos alunos esse tipo de informação. Estamos localizados em uma região afastada do Centro Histórico e com a exposição estamos dando oportunidade não só aos nossos alunos, mas também aos pais, para conhecerem um pouco sobre a nossa cultura,” ressaltou Michelle Silva Castro, gestora adjunta da escola.
Compartilhar

COMUNICADO – Seplan

A Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan) comunica que, devido ao incêndio que atingiu o andar superior da sua sede, na manhã desta segunda-feira (23), o atendimento externo está suspenso temporariamente. As atividades desempenhadas pela Seplan não foram prejudicadas.
A Seplan informa ainda que está adotando todas as providências para o funcionamento normal da secretaria o mais breve possível, e que posteriormente comunicará um novo endereço da sua sede.
Compartilhar

Projeto do vereador Roberto Rocha Jr., institui o Dia Municipal da Água

A Câmara Municipal de São Luís aprovou em primeira votação, na manhã desta segunda-feira (23), o Projeto de Lei N 133/15 que institui o dia 20 de março como o Dia Municipal da Água, em São Luís. O projeto é de autoria do vereador Roberto Rocha Júnior (PSB), presidente da Comissão de meio Ambiente da Câmara.
Segundo o parlamentar, a data é para lembrar a importância de trabalhar e mobilizar os mais diversos segmentos da sociedade, tais como, escolas, empresas, entidades assistenciais e públicas, bem como a comunidade de forma geral, no sentido de criar uma mobilização por meio de campanhas que ressaltem a importância da preservação dos recursos hídricos na capital maranhense.
“Pesquisadores afirmam que em 2025 mais da metade da população mundial pode vir a sofrer com a falta de água potável, por isso é de fundamental importância ter um dia no nosso calendário para nos fazer lembrar a importância de nos auto-educarmos para preservar esse bem tão precioso”, ressaltou.

Depois de passar por mais duas votações e ser sancionado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), a data comemorativa ao Dia Municipal da Água passará a constar oficialmente no calendário do município. 
Compartilhar

PF continua na casa de Ricardo Murad

Veículo da PF na porta da casa de Ricardo Murad.

Veículo da PF na porta da casa de Ricardo Murad.
Pelo menos três carros com agentes federais ainda permanecem na casa do ex-deputado Ricardo Jorge Murad. Eles aguardam a chegada do advogado para conduzi-lo até a Superintendência da Polícia Federal.
O ex-secretário de Saúde do Estado é alvo da Operação “Sermão aos Peixes”, desencadeado na manhã desta terça-feira (17), na capital do Maranhão. O objetivo da operação é desencadear um esquema de desvio de verba federal no Estado.
Veículo da PF na porta da casa de Ricardo Murad.

Veículo da PF na porta da casa de Ricardo Murad.
blog Neto Ferreira 
Compartilhar

Prefeitura busca novas parcerias para o programa São Luís Cidade Jardim

Prefeitura busca novas parcerias para o programa São Luís Cidade JardimO “São Luís Cidade Jardim”, programa lançado pela Prefeitura de São Luís em 2014, busca novas parcerias. Desta vez, com empresas instaladas na região das Avenidas Colares Moreira e Carlos Cunha para transformar o projeto paisagístico das vias. A primeira-dama e madrinha do programa, Camila Holanda e o presidente do Instituto Municipal de Paisagem Urbana (Impur), Luís Carlos Borralho participaram de uma extensa agenda de trabalho na última semana para atender as novas demandas do projeto.
Camila Holanda e Luiz Carlos Borralho se reuniram com a direção do São Luís Shopping, Tropical Shopping e do grupo Dom Bosco para apresentar o programa que tem como meta contar com 20 rotatórias adotadas, 40 praças e 30 km de canteiro central em avenidas.
“Estamos unindo forças visando transformar São Luís e deixar a capital uma cidade mais verde e mais bonita. Tivemos respostas positivas por parte das visitas que fizemos. Agora vamos apresentar o projeto, analisar o orçamento e de que forma podermos executar o projeto”, disse a primeira-dama.
Do Grupo Dom Bosco a primeira-dama recebeu uma boa aceitação da parceria e a sugestão da participação dos alunos do colégio no programa, como proposta de ensino à proteção ambiental e valorização patrimonial dos espaços públicos. Também foi sugerido pela diretoria a participação de estudantes de Arquitetura e Urbanismo da UNDB, na formulação de proposições e estudo do projeto.
“Temos interesse no projeto, pois pode ser um exemplo para o ensino dos alunos do Colégio Dom Bosco, além de mostrar que nossa prática de pesquisa é muito forte”, exaltou a diretora Ceres Murad.
Por parte do São Luís Shopping, a reunião contou com as presenças dos superintendes Ireno Carvalho e Ricardo Depease, e do gerente Nélio Paixão. Os representantes da Prefeitura receberam a sinalização positiva do Shopping para a implantação do paisagismo na área do canteiro central da Avenida Carlos Cunha, abrangendo os 450 metros de extensão.
Ficou acordada a apresentação do projeto técnico, apreciação e a definição da contrapartida. Também ficou acordado o chamamento dos demais empreendimentos da área. As empresas que contribuírem para o embelezamento dos espaços e ganharão publicidade nas placas das áreas urbanizadas. No início de dezembro, a Prefeitura apresenta o projeto técnico e se estabelecerão os termos da parceria para cada ente.
O Superintendente do São Luís Shopping, Ireno Carvalho, avaliou como positiva a iniciativa e salientou a importância da continuidade das ações. “Nós temos grande interesse e vamos participar. Queremos a cidade mais bonita. A partir do projeto, podemos amarrar bem a parceria. E precisamos de continuidade e segurança para que continue mesmo com as mudanças de gestões”.
A diretora do Tropical Shopping, Kátia Pessoa disse já conhecer o programa, elogiou a iniciativa e se comprometeu em apresentar uma proposta para os condôminos do shopping.
Segundo o presidente do Impur Luís Carlos Borralho, o empreendimento ganha visibilidade com as parcerias e a cidade ganha em paisagismo com áreas verdes e conservadas. Ele afirmou que dentro dos estudos feitos pelo Instituto, se constatou que uma das razões para a imagem ruim da cidade é a falta de vivência dos espaços.
“Os moradores não se veem dentro dos espaços por muitos motivos. Por isso criamos o programa. E, assim, integrar as empresas, a comunidade e o poder público para que os espaços sejam de todos. Sintam que aquele espaço também é seu. A cidade não é do poder público, mas de todos”, disse Luís Carlos Borralho.
A primeira-dama Camila Holanda também enalteceu a importância do programa para que os espaços públicos sejam ocupados e conservados diretamente pelas comunidades e empresas, aumentando o sentimento de pertencimento.
“O programa vai além do embelezamento. Garante o pertencimento dos espaços, melhora a autoestima das pessoas. Desperta o interesse pela preservação, pelo meio ambiente. Por isso, temos buscado unir forças em torno deste projeto”, destacou Camila Holanda.
SÃO LUÍS CIDADE JARDIM
As ações do programa “São Luís Cidade Jardim” são realizadas em parceria com empresas privadas, instituições de diversos segmentos e o envolvimento da sociedade em geral. Entre as metas do programa estão a implantação de portais nas entradas e saídas da cidade, auxiliar a criação de jardins ecológicos nas escolas e incentivar a jardinagem doméstica. O programa também trabalha a valorização de terras ociosas urbanas e periurbanas, com planejamento, conservação e manutenção da paisagem nas praças, avenidas, parques, canteiros, entre outros espaços públicos abertos da cidade.
O macroprograma se divide em oito eixos de ação: Portais da Minha Cidade, Jardim da Minha Escola, Jardim da Minha Casa, Jardim da Minha Rua, Jardim da Minha Praia, Minha Calçada, Minha Árvore e Jardim da Minha Empresa.
Compartilhar

Prefeitura e Fundação Volkswagen compartilham experiências do projeto “Entre na Roda”

Durante os encontros foram passadas técnicas de leitura em sala de aula, com orientações para que os professores pudessem acompanhar e estimular a prática
Educadores da rede municipal de São Luís e de outros dez municípios maranhenses participaram das ações do projeto “Entre na Roda”. De iniciativa da Fundação Volkswagen, o projeto existe desde 2003 e tem por objetivo formar mediadores de leitura, propósito que vai ao encontro da orientação do prefeito Edivaldo para a área da Educação, que é a de garantir o acesso à educação, a cultura e à literatura entre crianças e adolescentes.
“Agradeço à Fundação Volkswagen pela parceria e pelo trabalho que desenvolveram com os nossos educadores ao longo dos últimos oito meses. Estamos certos de que o aprendizado recebido irá se refletir em belos projetos geradores de aprendizado de forma lúdica e divertida para nossas crianças”, afirmou o secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho.
Ao longo dos oito meses de desenvolvimento do projeto, São Luís funcionou como a cidade-pólo para formação dos educadores. As ações formativas do projeto “Entre na Roda” foram realizadas quinzenalmente e durante os encontros foram passadas técnicas de leitura em sala de aula, com orientações para que os professores pudessem acompanhar e estimular a prática.
Para a coordenadora do projeto junto à Fundação, Maria Alice Amelin, os resultados alcançados estão bem acima do esperado. “De todos os estados participantes, o Maranhão foi o que mais se destacou e que teve maior frequência nas ações formativas. Agora chegou o momento de todos os professores, coordenadores pedagógicos e técnicos das secretarias de educação apoiarem a implementação do projeto em suas redes públicas de ensino”, explicou.
“As oficinas conseguiram suscitar mais interesse dos professores por técnicas de estímulo à leitura e abriram seus horizontes para a implantação de novos projetos. Agora, para garantir o sucesso, vamos trabalhar na concretização desses projetos junto às escolas da rede municipal”, explicou Leonor de Maria Reis, técnica da Semed que participou das formações.
CULMINÂNCIA DO PROJETO
A solenidade de culminância do projeto foi realizada na última sexta-feira (13), no auditório do Núcleo de Tecnologias para a Educação da Universidade Estadual do Maranhão (Uemanet). A solenidade contou com a participação de aproximadamente 90 educadores, durante todo o dia, os profissionais da educação apresentaram o balanço das iniciativas desenvolvidas nas escolas municipais por meio do projeto e os benefícios obtidos pelos estudantes.
Rosena Lima Martins, professora da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Monsenhor Frederico Chaves, no São Francisco, garantiu que o aprendizado recebido será útil. “Aprendi várias estratégias para diversificar o meu trabalho em sala de aula, que estamos querendo implementar na escola já para o ano que vem. Os professores e coordenadores pedagógicos já estão se reunindo para que a escola trabalho o projeto Entre na Roda a partir do próximo ano letivo”, explicou.
Compartilhar