Bairro Villagio do Cohatrac V é esquecido pelo prefeito Eudes Sampaio

DESCASO HISTÓRICO – Todos os dias os moradores do Villagio do Cohatrac V, área de São José de Ribamar, vivem o mesmo dilema; a infraestrutura precária e sem solução. Na verdade, entra prefeito e sai prefeito e nada de medidas para solucionar a problemática das ruas intrafegáveis do bairro, são buracos e mais buracos que só aumentam durante anos, que nem GIL CUTRIM e outros não resolveram.

Diversas denúncias de moradores do local já foram feitas no blog do Titico Soares e apenas soluções de papel tiveram nos planos dos gestores da cidade de São José de Ribamar. Os moradores não sabem mais a quem recorrer. O bairro do Villagio vai continuar abandonado? Medidas não serão tomadas.

Será mais um esquecimento da gestão municipal? Será preciso fazer uma manifestação com barricadas no trecho que liga a estrada da Maioba ao bairro do Cohatrac V e interditar o trânsito por horas ou dias? A comunidade está cansada de falsas promessas que os entes públicos não podem cumprir. Eudes Sampaio precisa acordar e não falar de infraestrutura nos bairros enquanto o Villagio está agonizando.

Há 15 anos morando no bairro, Arlete Cardozo se sente abandonada, ´’é como se o local não tivesse prefeito. Eu não tenho condições de mudar de bairro, pois já tinha feito mudança. Não sabemos a quem recorrer mais. A ruas não temos onde passar, carros dificilmente passa em certos trechos. Vamos enlouquecer de tanto reivindicar”, contou.

Está na hora de acabar com esse mi, mi, mi…  e dizer que o bairro pertence a outra cidade e não a de origem. Uma briga que vem prejudicando a comunidade faz muito tempo e parece que isso não tem fim, ou seja, uma novela contínua, que entra capítulo e sai capítulo.    

E agora prefeito Eudes Sampaio? O que fazer? Vai solucionar esse problema que dura anos?

Vamos esperar o próximo capítulo da novela e o final…

Compartilhar

SURPRESA: José Carlos Madeira aparece na frente para prefeitura de São Luís

O site Folha do Maranhão acaba de realizar enquete para a disputa pela Prefeitura de São Luís. O resultado, aparentemente inusitado, só aparentemente, mostrou o juiz federal José Carlos Madeira em primeiro lugar. Por si só, o resultado merece análise. Para começo de conversa, enquete é só enquete, ou seja, não tem valor científico no mundo político real. Depois, estamos a um ano do pleito, e tudo pode acontecer, inclusive nada.
Mas uma coisa não pode ser deixada de lado: a inclusão do nome de José Carlos Madeira na enquete. Por quê? A pergunta serve a todo tipo de especulação, das sensatas às sem sentido. E por que ele conseguiu posição de destaque na enquete? A resposta a esta última pergunta já envereda pela estrada das chances de êxito ou de algum êxito. Então, vamos, de forma ligeira, às perguntas.

Se José Carlos Madeira tem o nome incluído numa pesquisa de intenções de voto ou mesmo numa enquete, bem, a inclusão é no mínimo resultado de um rumor, que em política sempre começa em tom baixo, com aparente cara de balão de ensaio. Mas mesmo um balão de ensaio é fruto de um desejo pessoal ou de um grupo. Nunca é fruto de um mero capricho ou do acaso. Onde há fogo, há fumaça, por óbvio. Em política o que se precisa ter como horizonte é o seguinte: o fogo se alastra ou haverá a intervenção de algum bombeiro?
Sobre a posição de Madeira na enquete em questão, pode-se dizer que o nome não é desconhecido a um público específico. O que, por enquanto, deixa de fora outras amplas camadas da sociedade. As duas coisas são positivas. Ser desconhecido por amplas camadas é positivo porque não comporta avaliação negativa (afinal, não há avaliação) e isso torna um candidato em candidato trabalhável, com uma estrada livre de engarrafamentos para crescer, a depender, claro, de como se trabalha esse nome. De outra parte, ser conhecido por um setor específico é bom porque esse setor (ou setores) sempre servirá para espalhar sementes.
Bom, se realmente José Carlos Madeira vier a se candidatar a prefeito de São Luís, uma coisa é certa: não será um nome qualquer. Com isso, quero dizer que suas possibilidades são boas, ou ninguém o incluiria numa enquete. Nem eu estaria escrevendo esta análise.

O Machado do Maranhão

Compartilhar

‘Ia dar um tiro na cara dele (Gilmar) e depois me suicidaria’, revela Janot

Rodrigo Janot, ex-procurador-geral da República Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

BRASÍLIA – O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot revelou que planejou assassinar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes , em 2017. O episódio foi lembrado pelo próprio Janot em entrevistas publicadas nesta quinta-feira pelos jornais “O Estado de S. Paulo”, “Folha de S.Paulo” e pela revista “Veja”.

Segundo relato à “Veja”, Janot chegou a engatilhar a arma, ficou a menos de dois metros do ministro, mas não conseguiu efetuar o disparo. O motivo da ira foi um ataque de Gilmar à filha do então procurador-geral. “Esse inspetor Javert da humanidade resolveu equilibrar o jogo envolvendo a minha filha indevidamente. Tudo na vida tem limite. Naquele dia, cheguei ao meu limite. Fui armado para o Supremo. Ia dar um tiro na cara dele e depois me suicidaria. Estava movido pela ira. Não havia escrito carta de despedida, não conseguia pensar em mais nada. Também não disse a ninguém o que eu pretendia fazer”, conta o ex-PGR.

Janot também afirmou que tentou mudar a arma de mão quando não conseguiu atirar com a destra. “Esse ministro costuma chegar atrasado às sessões. Quando cheguei à antessala do plenário, para minha surpresa, ele já estava lá. Não pensei duas vezes. Tirei a minha pistola da cintura, engatilhei, mantive-a encostada à perna e fui para cima dele. Mas algo estranho aconteceu. Quando procurei o gatilho, meu dedo indicador ficou paralisado. Eu sou destro. Mudei de mão. Tentei posicionar a pistola na mão esquerda, mas meu dedo paralisou de novo. Nesse momento, eu estava a menos de dois metros dele. Não erro um tiro nessa distância. Pensei: ‘Isso é um sinal’. Acho que ele nem percebeu que esteve perto da morte”, lembra.

O procurador disse que, depois de ter falhado no propósito de executar seu adversário, chamou seu secretário executivo, disse que não estava passando bem e foi embora. “Não sei o que aconteceria se tivesse matado esse porta-voz da iniquidade. Apenas sei que, na sequência, me mataria”, conclui.

Sem citar o nome do ministro, a cena também é relatada no livro “Nada menos que tudo”, escrito com os jornalistas Jailton de Carvalho e Guilherme Evelin. A obra será lançada pela Editora Planeta.

Gilmar é um ferrenho crítico da Lava-Jato. Em sessões do STF, costumava aproveitar seus votos para atacar também Janot. Diversas vezes já chamou o procurador de bêbado e de irresponsável.

Leia : Desembargador cassa decisão de Bretas e autoriza viagem de Temer a Londres

Janot já apresentou ações ao STF alegando a suspeição de Gilmar para atuar em processos. Em maio de 2017, o procurador pediu o impedimento de Gilmar na análise de um habeas corpus de Eike Batista, com o argumento de que a mulher do ministro, Guiomar Mendes, atuava no escritório Sérgio Bermudes, que advogava para o empresário.

Ao se defender em ofício, Gilmar afirmou que Letícia Ladeira Monteiro de Barros, filha de Janot, advogava para a empreiteira OAS em processo no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Segundo o ministro, a filha do procurador poderia na época “ser credora por honorários advocatícios de pessoas jurídicas envolvidas na Lava Jato”. O episódio provocou a raiva de Janot. “Aí eu saí do sério”, resumiu. O GLOBO procurou Gilmar, mas não obteve resposta.

À revista Veja, Janot também afirmou que suspeita que o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, hoje preso, mandou invadir sua casa, em 2015. Na ocasião, apenas um controle remoto do portão teria sido levado. “Era um recado, uma ameaça. Pelo cheiro, suspeito que foi obra do Eduardo Cunha. Não há evidência. É pelo cheiro mesmo”, declarou.

Janot afirmou ainda que o ex-presidente Michel Temer e o ex-deputado Henrique Eduardo Alves pediram, em 2016, antes do impeachment de Dilma Rousseff, que o então procurador-geral parasse qualquer investigação contra Cunha, que, na época, presidia a Câmara: “Eles queriam que eu praticasse um crime, o de prevaricação. Falei alguns palavrões indizíveis antes de ir embora. A reunião foi testemunhada pelo Zé Eduardo (José Eduardo Cardozo, então ministro da Justiça)”.

Compartilhar

Carlos Brandão cumpre agenda na região central do Estado

No início desta semana, o vice-governador Carlos Brandão entregou mais duas importantes obras em Itaipava do Grajaú: um Centro de Referência em Assistência Social (Cras) e um Centro de Referência de Segurança Alimentar e Nutricional (Cresan). Ambos equipamentos sociais fazem parte do Plano Mais IDH.

As duas obras contemplam importantes necessidades dos itaipavenses. O Cras, além de facilitar o acesso de famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade às políticas públicas de assistência social, garante a participação em programas federais e estaduais, por meio da inscrição do Cadastro Único (CadÚnico) e serviços como o de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif) e o de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).

O Cresan de Itaipava do Grajaú é o quarto inaugurado em todo o estado. No centro, a população terá acesso a serviços como atendimento básico de saúde, atividades físicas e laborais, capacitação, oficinas, fornecimento de refeições saudáveis de qualidade e balanceada por nutricionistas, ofertadas de forma gratuita para a população em situação de insegurança alimentar e nutricional.

“30 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) são prioridades nas nossas ações. O CRAS é a porta de entrada para todas as políticas socioassistenciais e o restaurante popular ofertará alimentação saudável, além de atendimentos psicológicos, nutricionais, dentre outros serviços médicos. Estamos trabalhando de forma incessante para o bem da nossa gente”, disse Carlos Brandão.

Clodoaldo Correa

Compartilhar

Homem que aparece em vídeo com o filho é surpreendido na cadeia

Logo ao entrar na cela, o homem foi surpreendido, os presos o humilharam e o obrigaram a andar e ficar em pé enquanto vários presos partiam para cima dele.
O homem, que não teve seu nome revelado, segundo informações é um palestino e mora em Riad, ele aparece em um vídeo com o filho de apenas 1 ano forçando o mesmo a ficar em pé. O vídeo causou bastante indignação às pessoas.

sela

Ele teve uma lesão no estômago, foi socorrido e levado ao hospital, onde alguns enfermeiros recusaram atendimento, o qual só foi realizado devido imposição da polícia, caso contrario, o homem poderia ter falecido ali mesmo, disse o diretor da Penitenciária de Ha’er em Riad, na Arábia Saudita. O detento já teve alta médica e está isolado em uma cela separada do presídio.
Os presos agrediram a vítima por cerca de dez minutos. Diretor do presídio diz que caso não se trata de agressão, mas de uma iniciação e não sera investigado. A vítima é o homem responsável pelas agressões ao próprio filho, de aproximadamente 1 ano de vida.

Informações do painel do Mundo

Compartilhar

Feirinha São Luís terá mais um domingo com muitas atrações na praça Benedito Leite

Decoração com sombrinhas coloridas encanta público e se torna nova atração da Feirinha São LuísA Feirinha São Luís, programa desenvolvido pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), continua inovando e encantado o público que frequenta a Praça Benedito Leite, Centro Histórico de São Luís, local que recebe o evento todos os domingos, das 8h às 15h. O programa, criado pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, brinda o público, desde o domingo passado, com uma decoração especial, feita com sombrinhas coloridas colocadas acima do espaço onde fica o palco e que permanecerá em todas as edições de setembro, mês de aniversário de 407 anos de São Luís. Além de embelezar ainda mais o cenário, a nova ambientação atenua o calor, para alegria dos visitantes.

A programação deste domingo (22) terá o grupo Marcados (gospel), Rose Maranhão, Raimundinho & Forró Pé no Chão (forró pé de serra) e o encerramento será de responsabilidade de Guilherme Jr.. Haverá ainda apresentações de grupo de capoeira e da banda da Feirinha, que abrem a programação.

Conhecida por reunir produtos oriundos da agricultura familiar rural, artesanato, gastronomia e uma programação cultural diversificada, a Feirinha São Luís se consolidou como ponto de encontro de amigos e famílias que encontram no local muitas opções de lazer e entretenimento. “A gestão do prefeito Edivaldo está sempre buscando agradar o público que nos visita e aprecia a nossa programação. A nova decoração é uma ideia inovadora e será utilizada em todas as edições de setembro da Feirinha São Luís”, comentou o secretário da Semapa, Ivaldo Rodrigues.

Além de atrações artísticas, o evento também reserva espaço a ações sociais. Assim, neste domingo (22), a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) terá um momento importante na Feirinha São Luís. Como parte da programação do Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, a secretaria orientará e passará informações ao público em geral, por meio de distribuição de material educativo alusivo à causa.

APROVAÇÃO

A professora Teresa Medeiros se encantou por São Luís. Chegou à capital maranhense para trabalhar e nunca mais quis sair da Ilha Magnética. Quando se deparou pela primeira vez com o programa Feirinha São Luís, se encantou e não poupou elogios. “A gente fica bastante feliz em encontrar a Feirinha São Luís neste nível de organização. Estava olhando o artesanato, as comidas típicas. Vendo o interesse do povo pela cultura, pelo local. O Brasil precisa conhecer o que estamos a fazer aqui. Eu, realmente, estou entusiasmada com o a Feirinha São Luís”, elogiou ela que é a coordenadora do curso de Gastronomia de uma faculdade particular da capital.

A Feirinha proporciona espaço para todos os públicos. O pintor sacro, Nil Karril, de 25 anos, está a pouco mais de cinco meses em terras maranhenses. Veio de Manaus (AM) em busca de uma vida nova, e encontrou nas belezas naturais e arquitetônicas de São Luís uma forma de expressar sua arte.

“Aqui no Maranhão tem muitas coisas lindas para se retratar. As vendas estão muito boas. Eu uso como matéria prima produtos da natureza e produtos recicláveis. O que temos aqui são coisas do cotidiano que capto e transformo em arte. A Feirinha é um espaço muito bom para divulgar e comercializar nossa arte”, comentou o artista plástico

Compartilhar

“Flávio Dino faz história no Brasil” afirma ex-ministro da Justiça Eduardo Cardozo

O ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, está no Maranhão e proferiu palestra, nesta sexta-feira (19) no Plenarinho da Assembleia, sobre o tema “Crise do Estado Democrático de Direito”.

Questionado pelo blog sobre a possibilidade de candidatura do governador Flávio Dino à presidência da República, Cardozo exaltou as qualidades de Flávio, mas disse ainda não saber qual será o desafio de Flávio em 2022. “Flávio é um dos melhores políticos que eu conheci na minha vida. Terá um futuro muito importante para o país. Qual será o chamamento que ele terá? Eu não sei. Mas ele faz história no Brasil e o Brasil precisa dele”.

Cardozo alertou para a necessidade de unidade dos partidos de esquerda como PCdoB e PT. “PT e PCdoB têm que estar sempre juntos. Aliás, topos os democratas têm que estar sempre juntos. Temos que superar eventuais divergências e buscar convergências. Em relação a quem vai pleitear o que, a vida dirá. Mas temos que estar unidos para enfrentar o autoritarismo que hoje ameaça o nosso país”. afirmou.

José Eduardo Cardozo recebeu a medalha Manoel Beckman, maior honraria do Poder Legislativo Estadual. A indicação da homenagem é de autoria do deputado Zé Inácio Lula (PT).

Clodoaldo Corrêa

Compartilhar