Abandono e descaso marcam os 403 anos do aniversário de São Luís

Festas e festejos, animação, bandas de vários ritmos, foliões, muita dança, peças teatrais, além de uma série de eventos culturais, marcam, todos os anos seguidos, o aniversário da cidade de São Luís, carinhosamente batizada de Ilha do amor. São 403 anos de história, aliada a grandes lutas, conquistas, decepções, amores, e um ramo de belas paisagens naturais, artesanais e prédios históricos, e o principal deles, “Patrimônio Histórico da Humanidade”. Conquistas marcantes como esta, fazem de São Luís um dos pontos turísticos mais desejáveis do país. 
       
É verdade… Mas…

Maquiada por atrações em cada canto, São Luís, de patrimônio histórico, passa a ser conhecida como casa mal assombrada pela gestão pública. Abandono, esquecimento, descaso e caos, infelizmente, se referem ao conceito de uma cidade tão linda, mas ferida pelo poder centralizado nas mãos do atual prefeito Edivaldo Holanda Junior, que, ao pregar o discurso da mudança, destacou educação, saúde, segurança e mobilidade urbana como prioridades do seu governo. Nada disso aconteceu!!!
São Luis do Maranhão Montagem
Na verdade, São Luís completa mais um ano sem educação, saúde e segurança, em âmbito qualitativo. Nessa perspectiva de comemoração, a cidade completa 403 anos, mas os parabéns são pelo excelente trabalho e dedicação dos nossos gestores, que a cada ação, tem seguido uma linhagem de planejamento no desenvolvimento da cidade… ações teóricas e projetos que nunca saíram do papel!!! O povo de São Luís vem sofrendo há 3 anos a espera de ações que ainda continuam incompletas…

Desorganização

Há tanta desorganização na atual gestão municipal que as unidades de educação básica estão completamente abandonadas; falta recursos pedagógicos; problemas constantes na rede elétrica e hidráulica; falta energia e água com muita freqüência, e com isso a rotina escolar fica prejudicada. Alunos e professores da rede pública municipal reclamam constantemente da falta de manutenção e das condições precárias nas escolas. 
Já na área de mobilidade urbana não é diferente. A população que freta ônibus todos os dias reclama do preço da passagem e do péssimo serviço prestado pelas empresas de transporte. “Ônibus sucateado e muito lotado, ninguém merece isso; pagamos um alto preço de passagem e temos um serviço de péssima qualidade. Sofrimento demais”, reclama a vendedora Cristina Coelho, moradora da Cidade Operária.

A saúde, que também seria uma das prioridades do governo Holanda Junior, passa por momentos ruins. “O atendimento nos Centros de Saúde são péssimos; uma vez liguei para solicitar uma informação demorei mais de dois dias, mas não consegui, tive que me deslocar até o posto para obter. Além disso, a estrutura de alguns postos deixa a desejar”, reclamou Márcia Oliveira, residente do Cohatrac.        

Parcerias e mais parcerias, partidos políticos, alianças firmadas, firmamentos partidários, projetos idealizados, a cidade vem atingindo um patamar dominável e centralizado nas mãos do poder público. Infelizmente, São Luís completa mais um ano sem transparência e fazendo mau uso do dinheiro público. As escolas estão sucateadas. Para onde vão os recursos e os impostos que pagamos?    
A ilha do amor, cercada de promessas eleitoreiras e totalmente  infundadas, vem caindo no esquecimento pelos seus principais gestores, seja ele nas áreas da educação, segurança, saúde, mobilidade urbana, transporte, enfim, a infraestrutura por completa. O que se vê, são obras inacabadas ou nem iniciadas. É uma vergonha completar 403 anos com mentiras por cima de mentiras. A Palavra prioridade não existe no vocabulário do Prefeito e nem de seus secretários.    

Pesquisa

A Direção do Sindicato dos Profissionais do Magistério da Educação Municipal de São Luís (Sindeducação), nesta data tão importante, não só pela estrutura física da cidade, mas uma forma de homenageá-la realizou uma pesquisa em que a população teria que responder a seguinte pergunta: “Se você fosse presentear a cidade de São Luís, qual presente seria?”, unanimemente todos responderam os três pilares; educação, saúde e segurança. 

A Professora Francisca Pereira, da UEB Jornalista Neiva Moreira, disse que faria de São Luís um celeiro de Educação.   

“Educação é um dos pilares mais relevantes para formação humana. O desenvolvimento educacional se constrói com recursos e investimento do poder público. Sem esse alicerce fica difícil construir algo permanente no nosso município e também em todo o estado do maranhão. Educação é prioridade, o prefeito Edivaldo Holanda Junior precisa entender isso”, afirmou a professora. 

Para João Batista de 12 anos, estudante da 5ª série, da UEB Jornalista Neiva Moreira, diz que formaria a cidade melhor em termos de educação e saúde, mas se tivesse que escolher daria uma educação de qualidade. “Construía um espaço bem amplo para as crianças; estruturava as escolas; distribuía fardamento para os alunos; e mudava a merenda escolar; reclamou o aluno. 

O Técnico em Informática, Francisco Silva, morador do Vinhais, presenteava São Luís com mais segurança. “A cidade de São Luis carece de muitas coisas. A educação e a saúde estão um caos, mas a cidade vive insegura com tanta criminalidade. Os assaltos nessa área do Vinhais estão constantes. Meu presente seria mais segurança para nós trabalhadores”, criticou.
        
Já a costureira Maria de Lurdes, do São Cristovao, mudaria o Prefeito Edivaldo Holanda Junior. “Meu presente seria a mudança urgente do atual prefeito. A rede municipal está abandonada; em 3 anos de mandato, asfaltar rua é o de menos; a população necessita de outras coisas como saúde, educação e transporte de qualidade. O povo de São Luís sofre constantemente com o péssimo serviço da prefeitura. Quero outro prefeito” protestou a senhora.

Crítica ao prefeito
Screenshot 2015 09 08 00 52 44Em uma sabatina no programa Ponto Final, na rádio mirante AM, com Roberto Fernandes, noticia também veiculada no Jornal o Estado Maranhão, Edivaldo Holanda Junior, na época, disputando a Prefeitura de São Luís, criticou a gestão do ex-prefeito João Castelo afirmando que ele teria sido omisso na gestão da capital. 
Matéria veiculado no impresso..
.
“Ele citou a educação e a saúde como os principais problemas enfrentados pela população e disse que o atual prefeito, naquela época – João  Castelo – permaneceu em inatividade administrativa por 3 anos, deixando para trabalhar apenas no ultimo ano de mandato, numa atitude clara, segundo ele, de quem apenas vislumbra uma reeleição e manutenção no poder”.  

Engraçada essa afirmação do atual prefeito Holanda Junior falando do ex-prefeito João Castelo. Um sujo falando do mal lavado. Como se ele não tivesse fazendo a mesma coisa. Aliás, até pior; Holanda Junior, nem com 3 anos de mandato fez algo pela educação municipal. As imagens mostram o quanto ele mente e distorce as coisas. Fica a critério de a população escolher quem será o representante de São Luís nos próximos quatro anos.     
Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *