Ação do Ministério Público prende indivíduo que se passava por servidor público para aplicar golpe em feirantes de São Luís.

Na noite desta quinta-feira (03), o Ministério Público do Maranhão promoveu ação coercitiva que prendeu homem que se passava por servidor público na Feira da Praia Grande.

O homem, conhecido como Robson Martins Ferreira, foi conduzido à Delegacia de Polícia, localizada na Cajazeiras – Centro, após ser flagrado pela polícia recebendo dinheiro dos feirantes.  O suspeito é conhecido de longa data pelos feirantes, mas, há tempos pratica crimes nas Feiras Livres de São Luís, entre as quais, destacam-se: ameaça, coação e usurpação de função pública.

A ação causava prejuízo aos feirantes, que precisavam constantemente desembolsar quantias em dinheiro para pagar por manutenção, sendo que tais serviços já são feitos pela prefeitura de São Luís, sem cobrar qualquer taxa a mais.

Após tomar conhecimento dos fatos, o Ministério Público instaurou investigações para apurar os fatos denunciados. Ao chegar na Feira Livre da Praia Grande, os Promotores Cláudio Guimarães e Fernando Barreto, junto com a polícia, surpreenderam o suspeito realizando cobranças aos feirantes.

Segundo informações, Robson Martins agia com frequência nas feiras da cidade e se identificava como servidor público, utilizando um colete do programa Pacto Pela Paz, do governo do Estado. Ele se apresentava como sendo gerente das feiras e cobrava taxas de manutenção dos feirantes.

Robson já ameaçou de morte o superintendente da Semapa, Marcelo Braga, e por isso respondeu um TCO. De acordo com a denúncia do MP, o suspeito diversas vezes teria feito menção de estar munido de arma de fogo.

O sindicato dos feirantes de São Luís reclama que Robson tem atrapalhado todo e qualquer trabalho feito nas Feiras Livres de São Luís que possa beneficiar a categoria e ainda manipula a maioria dos mesmos, com promessas financeiras, como a de uma suposta Cooperativa e rentabilização de juros.

Além disso, todos os novos permissionários são afugentados e só podem acessar as feiras caso paguem a taxa cobrada pelo suspeito.

Recentemente, o meliante fez ações para proibir a instalação dos Ecopontos nas feiras – ação que vai colaborar com limpeza dos espaços – e também ameaça demolir as construções, com apoio de pré-candidatos a prefeito e vereador ávidos por cooptar votos.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *