ADIAMENTO DAS ELEIÇÕES É NECESSÁRIO PARA PRESERVAR A LEGITIMIDADE DO PROCESSO ELEITORAL, DIZ PRÉ-CANDIDATO CARLOS MADEIRA

Por Jorge Vieira.

Primeiro pré-candidato a prefeito no país a se manifestar a favor do adiamento das eleições municipais por conta da pandemia do novo coronavírus, o ex-juiz federal Carlos Madeira (Solidariedade), em conversa, via WhatsApp, com o blog Jorge Vieira, voltou a se manifestar sobre o tema e reafirmar sua posição tornada pública ainda no início de março quando as autoridades sanitárias do Ministério da Saúde apontavam a curava ascendente da covid-19.

Agora, diante da possibilidade real do adiamento do pleito, marcado no calendário eleitoral para 4 de outubro, Madeira volta a reafirmar seu posicionamento e diz que já “antevia, em marco, a impossibilidade de aglomerações e, principalmente, a possibilidade de a sociedade brasileira encontrar-se em colapso emocional pelo número elevado de óbitos”, daí a necessidade de remarcação das eleições.

Para Carlos Madeira, “o adiamento das eleições se torna essencial, seja pela situação da curva de contaminação da COVID-19, ainda elevada, seja para preservar a legitimidade do processo eleitoral. Nesse ponto, as eleições sendo realizadas em outubro beneficiam os nomes que já são conhecidos da sociedade; nomes como o meu, com feição de outsider, ficarão em situação de larguíssima desvantagem”.

Além de apoiar a iniciativa do Congresso Nacional e do Tribunal Superior Eleitoral em formar grupo de estudo para analisar as propostas de remarcação do pleito, Carlos Madeira diz aprovar a decisão de Justiça Eleitoral que autorizou as convenções virtuais para a oficialização das candidaturas.

“As convenções são os maiores eventos cívicos do processo eleitoral; os cidadãos, eleitores e candidatos, fazem da convenção o grande divisor de águas do processo eleitoral. Depois das convenções, como sabemos, começa a fase da propaganda eleitoral. Por isso, a convenção virtual quebra a magia da festa cívica; os eventos virtuais, como os shows, não conseguem traduzir a mesma emoção dos eventos presenciais, mas diante do momento dramático vivido pela humanidade, a virtualização das convenções parece inevitável”.

Atualmente, diante da nova realidade imposta pela covid-19, existem várias propostas em estudo no Congresso Nacional que tratam sobre o adiamento das eleições, porém, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, e os presidentes da Câmara Federal, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, debatem sobre duas datas para a realização do primeiro turno: 15 de novembro ou 6 de dezembro.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *