Com menor índice de rejeição nas pesquisas, Roberto Rocha assume: “Sou pré-candidato a governador do MA”

“Até então o senador vinha falando de forma muito tímida sobre a possibilidade de disputar o cargo de governador no ano que vem, mas ontem, sexta-feira, 23, durante entrevista à Rádio Nova FM, do município de Balsas”

Sou candidato a governador do Maranhão para dar a oportunidade aos maranhenses de um outro projeto de sociedade, de um projeto de Estado e não somente de poder. Hoje não temos governado, tem no máximo um despachante de luxo à frente do Palácio dos Leões.”

Com as palavras acima o senador Roberto Rocha (PSB) oficializou, por assim dizer, a sua pré-candidatura ao governo do Maranhão nas eleições de 2018.

Até então Roberto vinha falando de forma muito tímida sobre a possibilidade de disputar o cargo de governador no ano que vem, mas ontem, sexta-feira, 23, durante entrevista à Rádio Nova FM, do município de Balsas, o socialista foi taxativo e finalmente assumiu sua condição de postulante a chefe do executivo estadual.

Críticas 

Ainda na entrevista, Roberto Rocha pontou várias críticas políticas e do ponto de vista da gestão do atual do Governo do Estado.

Para o senador, “o Maranhão precisa de alguém que governe para a maioria da população e não para um partido. O defeito é esse, é que ele [Flávio Dino] foi eleito por uma gama de partidos, por uma coligação que construiu uma maioria de metade mais um, mas depois age como se fosse governador fruto de uma revolução armada, como se fosse urgido pelos deuses para salvar o Maranhão, ou se considera o próprio Deus, e às vezes fica brincado de Deus no Palácio dos Leões”.

Roberto e as pesquisas

Ao contrário do que alguns podem achar, a última pesquisa Escutec, encomendado pelo PMDB da ex-governadora Roseana Sarney, traz alguns dados interessantes em relação ao senador Roberto Rocha.

Por se tratar de uma pesquisa quantitativa, a tendência é as pessoas se aterem apenas nos números que aferem a intenção de voto nesse ou naquele candidato, sem levar em conta que o mais importante nesses tipos de levantamentos, feitos a mais de um ano das eleições, são aspectos como o grau de rejeição entre os postulantes ao cargo de governador, e o cruzamento de dados entre os vários cenários colocados para os entrevistados.

Nesse sentido, quando o quesito é rejeição, vemos que Roberto Rocha é o menos rejeitado entre oscandidatos com apenas 5,6% do entrevistados que afirmam não votar no senador se eleição fosse hoje, enquanto a ex-governadora Roseana Sarney e o governador Flávio Dino encabeçam as maiores rejeições com 33% e 26%, respectivamente, conforme gráfico abaixo da Escutec.

Outro dado interessante do levantamento Escutec diz respeito ao fato de Roberto Rocha ficar em segundo lugar nas intenção de votos quando Roseana Sarney não aparece como opção aos entrevistados e é trocada pelo deputado estadual Eduardo Braide e pela prefeita Maura Jorge. Roberto fica na frente de ambos. Confira:

Como se pode verificar, uma candidatura do senador Roberto Rocha é perfeitamente viável, além de muito competitiva em qualquer cenário mesmo que Roseana Sarney resolva definitivamente entrar na disputa, o que cada vez vai ficando menos provável.

Uma pena a Escutec não ter elaborado um cenário de confronto de direto entre Flávio Dino e Roberto Rocha.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *