Confronto entre PM e criminosos deixa pelo menos 8 assassinatos

Confronto entre policiais e traficantes deixa oito mortos na Rocinha, no Rio

Uma operação policial na Favela da Rocinha, Zona Sul do Rio, no início da manhã deste sábado (24) terminou em confronto e deixou pelo menos oito mortos. O delegado responsável pelo caso informou que quatro vítimas tinham passagem pela polícia, três não tinham anotações criminais e um ainda não foi identificado, como mostrou a GloboNews. A PM afirma que as vítimas tinham envolvimento com o tráfico de drogas.

Dez policiais militares prestaram depoimento durante toda a tarde na DH e as armas usadas no confronto foram apreendidas e serão periciadas.

Segundo a PM, os policiais do BPChoque faziam patrulhamento quando foram recebidos por tiros e reagiram. Nos depoimentos na DH, os PMs disseram que faziam o combate ao tráfico de drogas.

Moradores relataram intenso tiroteio, que teve início por volta das 5h30. Parentes relatam que não houve reação e as vítimas não tinham ligação com traficantes.

Granadas também foram apreendidas na Rocinha (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

A corporação informou que os policiais entraram em confronto com criminosos em pelo menos dois pontos da comunidade: na Rua 2 e na localidade conhecida como Roupa Suja. Com eles a polícia apreendeu um fuzil, seis pistolas e duas granadas. Dez policiais militares foram ouvidos até na Delegacia de Homicídios e as armas foram apreendidas.

Mortos em hospital e passarela

  • Na primeira informação ainda na manhã deste sábado, a Polícia Militar disse que seis criminosos feridos foram encontrados e levados para o Hospital Miguel Couto, também na Zona Sul.
  • No início da tarde, a secretaria municipal de Saúde informou que sete pessoas vítimas de disparos de armas de fogo na Rocinha deram entrada no Miguel Couto já mortas.
  • Por volta de 15h, a Polícia Civil informou que oito pessoas foram mortas na Rocinha. Segundo nota, seis foram levadas para o Miguel Couto pela manhã e no início da tarde outros dois corpos foram transportados por moradores até a passarela que liga a favela à Vila Olímpica, onde ficaram até a chegada dos peritos.

Policiais da 11ª DP (Rocinha) confirmaram ao G1 que criminosos da mesma facção que atualmente comanda o tráfico de drogas da Rocinha enviaram reforços à comunidade. De acordo com as investigações, traficantes das favelas do Rodo e Antares, em Santa Cruz, na Zona Oeste, e do Borel, na Tijuca, na Zona Norte, também estão atualmente na favela em São Conrado. O objetivo é impedir a tentativa de retomada da favela por facções rivais e auxiliar na segurança do tráfico local.

G1

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *