Crise na Rede Sustentabilidade a pequena política feita por desconhecidos.

Nesta sexta um grupo de cerca de 100 militantes se desfilaram da Rede Sustentabilidade no Maranhão algo que vem acontecendo em todo Brasil o partido da ex ministra Marina Silva não para de sangrar já perdeu dois deputados federais e tudo indica que não elegerá novos, tudo isso por que ? Em nossa apuração jornalística chegamos a algumas conclusões interessantes sobre o partido.

Primeiro: O partido que se diz moderno e que não seria nem de direita nem de esquerda é na verdade apenas um partido de esquerda extremamente centralizado por um pequeno grupo que se reveza nas cadeiras do diretório nacional, que na Rede chamam de Elo este grupo controla o partido e centraliza até as filiações, veja que absurdo, até as filiações na Rede só são chancelaras e registradas pelo tal elo nacional.

Segundo: Este tal elo nacional é controlado por este grupo e tenta dar liderança aos seus amigos nos estados está é a forma que eles encontraram de manter o controle e se manterem no poder. E está é uma das causas dos problemas da Rede no Maranhão um dos “capas” da Rede é o ex petista Pedro Ivo Bastista e este no Maranhão sempre deu grandes poderes ao também ex petista Silvio Bembem que segundo apuramos nunca fez nada para merecer tal prestígio, nunca ajudou ou trabalhou na construção da Rede sempre foi crítico público da principal figura do partido Marina Silva e sempre tentou vender o partido para o governador Flávio Dino mas sem lá muito interesse do governador, Bembem e Pedro Ivo amigos de PT foram grandes sabotadores da Rede no pleito de 2016 onde a Rede elegeu um único vereador em todo estado do Maranhão.

Terceiro: A Rede já teve em suas fileiras grandes figuras da política local, como o ex secretário Estadual o economista Cândido Lima, figura que é uma espécie de reserva moral de nossa política Cândido Lima só não foi expulso da Rede por Bembem e Pedro Ivo por que se desfilou antes, depois disso o Professor e historiador Gledson Brito militante egresso do movimento estudantil conseguiu chancelado pela deputada Federal Eliziane Gama dar certa visibilidade ao partido que passou a figurar na mídia e nas ruas com certa importância mas tanto Eliziane quanto Gledson Brito não aguentaram o stalinismo e devaneios da Rede e os dois saíram. Com isso após 2016 a Rede Maranhão entrou em um limbo, ostracismo total sem figuras públicas e isolado política, eleitoralmente e sem ação direta nas ruas nenhuma o partido passou a ter na organização pessoas sem nenhum prestígio político a coisa é tão grave que até para averiguar informações sobre os membros é difícil pois ninguém os conhece no meio político.

Quarto: Silvio Bembem mesmo com todo poder dado por Batista em Brasília não conseguiu ser o “capa” aqui no Maranhão exatamente por que o mesmo queria apenas ser ungido sem fazer muito esforço para filiar ou organizar o partido, dai Bembem com anos de militância no PT conseguiu perder o controle do partido para um grupo pequeno, frágil, sem prestígio e inexperiente de filiados gerando a tal carta de desfiliação que não ocorreu por motivos nobres como a carta faz crer ela apenas ocorreu por que o general Bembem não conseguiu vencer uma disputa interna. A nova política virou pequena política a Rede virou um balaio de meia dúzia de gatos pingados e Marina vai afundando qualquer chance de ser presidente pois com estes cabos eleitorais a Rede não ganha nem eleição de Grêmio estudantil.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *