Direção do Sindeducação impõe, na Justiça, terceira derrota a ex-presidente da entidade

Na manhã desta quinta-feira (20), diretores do Sindeducação estiveram no Fórum desembargador Sarney Costa, para participar de uma audiência do processo 22377/2015, ajuizado na 12ª Vara Cível, pela ex-presidente do sindicato, Maria Lindalva Batista.
Na ação, Lindalva requeria a destituição da atual direção e a instalação de uma junta governativa que, em seu propósito, seria presidida por ela mesma.
O magistrado Hélio de Araújo Carvalho Filho, titular da Vara, desconheceu do pedido não chegando, sequer, a analisar o mérito da questão suscitada pela ex-presidente. “E determino a extinção do feito, considerando a falta de legitimidade da ora demandante, nos termos do artigo 267, inciso VI do CPC, extingo o presente feito sem resolução do mérito”, sentenciou o juiz.
Ao final da audiência, a atual presidente do Sindeducação, Elisabeth Castelo Branco, disse que a categoria pode ficar tranquila que o voto legítimo ofertado à gestão será honrado a cada dia de mandato, tanto na defesa dos trabalhadores quanto do patrimônio sindical, e que somente o conjunto dos educadores poderá, exercendo o direito democrático do voto, reconduzi-la ou eleger outras pessoas para comandar a entidade à época do processo eleitoral ordinário.
“A atual gestão do Sindeducação não descansa um minuto, trabalha diuturnamente na defesa dos direitos trabalhistas e sociais da categoria, não iremos nos intimidar com ataques de pessoas que nunca tiveram compromisso com os educadores”, comentou a profª Elisabeth.
Para o advogado do Sindeducação, Antônio Carlos Araújo Ferreira, a ex-presidente Lindalva não juntou qualquer prova das afirmações feitas no processo, ao contrário, o Sindeducação contestou com provas robustas, juntando relatório de atividades desenvolvidas ao longo dos últimos três anos, entre outros.
“A gestão liderada pela presidente Elisabeth Castelo Branco fez, em três anos, mais ações positivas do que a ex-presidente em oito anos. A atual direção conquistou diversos benefícios aos cerca de 5 mil professores da base, alguns inclusive, tiveram de dois a três direitos implantados neste período, realizando uma verdadeira atualização da vida funcional”, explicou o assessor jurídico.
Apesar de ter ajuizado a ação, a ex-presidente Lindalva não compareceu em audiência, sendo representada somente por sua advogada. Antônio Carlos disse ainda que essa é a terceira tentativa, sem sucesso, da ex-presidente de voltar à presidência do sindicato sem o voto da categoria.
APOIO – Uma verdadeira comitiva de sindicalistas de outras categorias e professores da base do Sindeducação acompanharam a audiência em solidariedade aos atuais diretores do sindicato.
“Viemos nos solidarizar aos companheiros do Sindeducação, pois entendemos que a atual gestão deste sindicato foi legitimada por toda a categoria, e na luta dos trabalhadores não cabem tentativas de golpe desta natureza, disse José Maria Araújo, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São Luís – SINDMETAL.
“Não compactuamos com atitudes dessa natureza, jogar contra a categoria é papel do Patrão e não dos trabalhadores, precisamos respeitar a democracia e entender que uns vencem e outros perdem em uma eleição”, disse Ribamar Araújo, dirigente do Sindicato dos Auditores Fiscais de São Luís – SINDIFISMA.

Ascom/sindeducação

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *