ELEIÇÕES 2018: Articulações com o PRTB pode causar revoada de apoiadores da candidatura de Lobão ao Senado

É que Márcio Coutinho não quer que o seu partido coligue na proporcional nem para deputado estadual e nem para federal, o que seria ruim para alguns deputados de mandatos  e pré-candidatos com grande potencial de votos

Há um clima de insatisfação ampla, geral e irrestrita em setores do grupo Sarney que pode dificultar sobremaneira o projeto do senador Edison Lobão (MDB) de voltar à Câmara Alta do Congresso Nacional.

O motivo é o nanico PRTB, controlado no estado pelo advogado Márcio Coutinho, ex-coordenador da campanha de Lobão Filho (MDB) ao governo do Maranhão em 2014.

Ocorre o seguinte. Aliados de Lobão afirmam que ao “empoderar” o PRTB, o senador acaba por fazer um jogo arriscado tanto para o grupo no geral quanto para si próprio.

É que Márcio Coutinho não quer que o seu partido coligue na proporcional nem para deputado estadual e nem para federal, o que seria ruim para alguns deputados de mandatos  e pré-candidatos com grande potencial de votos. Aliás, alguns chegam até afirmar que se negaram ao colocar o nome de Lobão no material de campanha deles, tal como aconteceu em 2014 com Gastão Vieira, o que pode ter contribuindo para a derrota do então candidato a senador.

Isso sem falar que o PRTB atualmente flerta com a pré-candidatura de Maura Jorge depois de ter flertado com a do senador Roberto Rocha (PSDB).

Márcio Coutinho jura que mesmo que eventualmente o PRTB vá com Maura Jorge, a base do partido deverá acompanhar a candidatura de Roseana Sarney (MDB), mas “esquece” que no horário eleitoral e no material de campanha dos candidatos do PRTB aparecerá é número e nome da Maura Jorge. Isso tudo é que tem gerado uma imensa insatisfação em várias lideranças do grupo Sarney e creditam na conta do senador Lobão por esse descontentamento.

PSD

Há ainda uma situação parecida com o PSD do ex-secretário da Fazenda, Claudio Trinchão, que também não deseja coligar com ninguém preferindo chapa pura, no que pode ser uma tática equivocada do presidente estadual da legenda já que hoje o nome que pode ser eleito não é o de Trinchão, mas do atual deputado estadual Edilázio Júnior, hoje filiado ao PSD.

O fato é que se não houver um freio de arrumação nessas articulações, principalmente no caso do PRTB, onde reside as maiores reclamações, o maior prejudicado nessa história toda é o senador Edison Lobão, que pode ver comprometido o seu retorno ao Senado Federal.

Contudo, os aliados de Lobão ainda confiam na sua capacidade e habilidade políticas para superar essas crises.

É aguardar e conferir.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *