Geraldo Alckmin e Roberto Rocha com novos rumos para o futuro do Brasil e Maranhão

Nunca houve dúvidas sobre a candidatura do senador Roberto Rocha, ao governo do Maranhão, mas faltava algo: a largada. Houve e foi espetacular.

O presidenciável Geraldo Alckmin passou dois dias memoráveis em nossas plagas. Falou com alunos e professores na Universidade CEUMA, com empresários na FIEMA e com o povo, no Multicenter SEBRAE. Caso houvesse alguma dúvida, não mais há.

A biografia do doutor Alckmin fala por si e vale por muitos discursos. Caso houvesse sobra de neurônios e bom senso, nessas plagas brasileiras, nem haveria segundo turno. Creio que haverá segundo turno.

O doutor Geraldo Alckmin mostrou um discurso, sério, entendível e propositivo. Não há dúvida que será ouvido e será o protagonista do segundo turno. A dúvida é sobre qual extrema será adversária. Esquerda ou direita? Tanto faz, pois se equivalem.

O senador Roberto Rocha merece uma análise maior. Teve dificuldades na consolidação do partido, pois o governo do Maranhão estava satisfeito com um PSDB satélite, dirigido por bedéis insignificantes. A posição decidida de Sebastião Madeira, Roberto Rocha, auxiliados com a experiência de Clodomir Paz foram definidoras e consolidaram-se com Zé Reinaldo, Alexandre Almeida e Waldir Maranhão. Adversários não mais dormem tranquilos.

O doutor Geraldo Alckmin voltou satisfeito com o que viu, ouviu e sentiu no Maranhão. Roberto Rocha consolida-se e é um nome decididamente viável para o segundo turno. Outras candidaturas estão em gestação e, decerto, virão. O governo, que há dois anos não vislumbrava nem sinal de adversários, convive, agora, com a incerteza da vitória.

A disputa será acirrada e, em um lugar, será violenta: nas tais redes sociais. Todo cuidado é pouco. Essa esquerda que administrativamente nunca deixa saudades, na mentira e destruição de reputações é inigualável. Tem uma blogosfera, por alguns denominada de esgotosfera, afiada e incansável. Isso é o chamado “milagre das migalhas do governo”.

Do nosso lado, nenhuma inocência. Sabemos o tamanho da caminhada, o grau das dificuldades e a possibilidade da vitória.

Tudo resolvido? Não. Falta uma pequenito detalhe: quem será o nosso vice-governador? Sem pressa. Está a caminho e vai melhorar o nosso plantel.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *