LITERATURA BRASILEIRA: ESCRITORA MARANHENSE, ROSEMARY RÊGO ANALISA OBRA POÉTICA DE FERNANDO ATALLAIA

Uma Geração profícua

Os anos noventa para o cenário literário maranhense marca o surgimento de uma geração que vem sedimentando seu nome na paisagem literária do estado. Nesse contexto inclui-se Fernando Atallaia, poeta, dono de uma sensibilidade lírica carregada de plasticidade. Em seu livro Ode Triste para Amores Inacabados nos apresenta temas que oscilam entre o amor e questões sociais. E, nessa catarse, nos mostra que a poesia está acima de qualquer conceito. É um livro versátil, onde a poesia incursiona pela metalinguagem e desemboca na metafísica.

“Poesia que é poesia não cabe em coletâneas”…

“A casa é fortaleza para a pele, e eu de rudimentar, tenho os ossos na poeira”.

Atallaia é um poeta comprometido com o fazer poético, em que a originalidade de sua poética lhe isenta de qualquer pasticho. Com esta obra ele presenteia a cidade de São Luís que tradicionalmente carrega como sina as chagas da poesia que se imortaliza em cada sobrado, em cada paralelepípedo e em cada musgo que brota das ruínas onde o tempo nos apresenta sua face. Esta é mais uma obra que brotou da lide de uma geração de poetas e escritores que de forma comprometida vem honrando a nossa literatura.

 

Rosemary Rêgo é Poeta, Escritora e Especialista em Língua Portuguesa. Autora das seguintes obras: O Ergástulo Gozo da Palavra e Pérolas ao Tempo.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *