Madeira manda um duro recado: “Não sou Neto, não sou Filho, não sou Júnior, não pertenço a esse filhotismo perverso da política do Maranhão”

Por Diego Emir.

O juiz aposentado Carlos Madeira (SDD), mandou um duro recado aos seus adversários na corrida eleitoral pela Prefeitura de São Luís, assim como deixou claro para a população qual a sua origem política. “Não sou Neto, não sou Filho, não sou Júnior, não pertenço a esse filhotismo perverso da política do Maranhão, sou alguém que nasceu no Bairro de Fátima, filho de um alfaiate e de uma empregada doméstica…”, declarou.

A fala é um claro recado para Neto Evangelista, que entrou na política através da herança política deixada pelo seu pai – João Evangelista (falecido em 2010) – assim como para Rubens Pereira Júnior (PCdob), filho de Rubens Pereira (ex-deputado) e Suely Pereira (ex-prefeita e suplente de senadora).

Madeira ainda endureceu o discurso: “eu tenho uma ascendência que é uma ascendência de gente decente, trabalhadora. Não venho da velha política, não tenho ascendência política. Por isso sou diferente, pela minha biografia, pela minha história, pelos meus ideais, pelos valores que carrego comigo, eu sou diferente dos demais pré-candidatos”.

Será com esse discurso, mostrando que é possível vencer na vida através da meritocracia, que Carlos Madeira pretende chegar ao ao segundo turno, lutando contra os nomes que representam o filhotismo político do Maranhão.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *