NO SILÊNCIO DA MADRUGADA: Presidente do STF concede liminar que interfere na guerra política por conta das eleições internas

O ministro Dias Toffolli, presidente do Supremo Tribunal Federal, atendeu um pedido dos partidos Solidariedade e MDB para suspender a votação de ontem para o voto aberto às eleições do Senado Federal. A decisão divulgada na madrugada de hoje (por volta das 3 horas) beneficia o Renan Calheiros (MDB-AL) no cabo de guerra com os opositores de sua candidatura para o quarto mandato.

Toffoli também decidiu que José Maranhão (MDB-PB), o senador mais velho da casa, com 85 anos, presida a nova sessão. Maranhão é aliado de Renan Calheiros (MDB-AL), candidato considerado favorito em se tornar presidente do Senado. Ontem, foi protagonizado um vexame no Senado, típico de uma república das bananas.

“Ante o exposto, defiro o pedido incidental formulado (Petição/STF nº 3361/19) para assegurar a observância do art. 60, caput, do RISE, de modo que as eleições para os membros da Mesa Diretora do Senado Federal sejam realizadas por escrutínio secreto. Por conseguinte, declaro a nulidade do processo de votação da questão de ordem submetida ao Plenário pelo Senador da República Davi Alcolumbre, a respeito da forma de votação para os cargos da Mesa Diretora. Comunique-se, com urgência, por meio expedito, o Senador da República José Maranhão, que, conforme anunciado publicamente, presidirá os trabalhos na sessão marcada para amanhã”, diz a decisão de Toffoli.

(Via Misto Brasília)

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *