SENADO 2018: Eliziane Gama deve ter líder negro como suplente

O PPS pode caminhar para ter dois membros do PPS como protagonista na chapa ao Senado Federal nas eleições de 2018.

Com a deputada federal Eliziane Gama à frente como candidata titular, chama-se Walter Maresia o provável primeiro suplente da irmã na chapa liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Nascido em São Luís, ex-menino de rua, 53 anos, Walter Maresia foi aluno da escolinha São João Batista, da Igreja São João Batista, na rua da Paz, dirigida pelo padre Marcos Passerini, sacerdote e missionário comboniano. E conta, emocionado, parte da sua luta de vida construída com muita dificuldade e superação.

“Eu tinha tudo para dar errado na vida e talvez pudesse estar em Pedrinhas hoje. Negro, pobre, excluído da sociedade, mas nunca desistir da vida e da boa conduta. Ainda jovem fui flanelinha na rua da Paz nas vizinhanças da igreja São João, mas tive minha primeira experiência profissional primeira experiência com as crianças de rua de São Luís sendo aluno da professora Eliane Feitosa Rego Posso dizer que sou um sobrevivente da barbárie social que os excluídos sofrem”, desabafa.

Maresia é militante do movimento negro e atualmente é gestor Agrário da Secretaria de Estado da Igualdade Racial. Ele conta com apoio de expressivas lideranças do PPS para compor a chapa de senador na condição de primeiro suplente de Eliziane Gama.

Na avaliação dos apoiadores do projeto “Walter Maresia primeiro-suplente”, o nome do líder negro soma na chapa de Eliziane não somente por atender uma parcela importante da sociedade, que são as comunidades quilombolas em geral, mas por ser uma pessoa do povo, bem articulado nas comunidades carentes tanto da capital quanto do interior.

O fato é que o nome do “poeta negro”, Walter Maresia, está posto na mesa.

E deve conquistar mais mais e mais simpatizantes ao longo da pré-campanha.

É aguardar e conferir.

Compartilhar

MP denuncia Joesley Batista e mais cinco por corrupção

Ministério Público Federal denunciou à Justiça Federal de Brasilia o empresário Joesley Batista, dono do grupo J&F, e mais cinco pessoas por crimes como corrupção passiva, ativa, embaraço a investigações e lavagem de dinheiro (saiba os detalhes da denúncia mais abaixo).

A denúncia foi apresentada ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) no dia 27 de abril. A relatora do caso é a desembargadora Mônica Sifuentes.

Foram denunciados:

  • Joesley Batista (dono da J&F): corrupção ativa, violação de sigilo funcional, embaraço a investigações e lavagem de dinheiro;
  • Francisco de Assis (executivo da J&F): corrupção ativa, violação de sigilo funcional, embaraço a investigações e lavagem de dinheiro;
  • Ângelo Goulart Vilella (procurador da República): corrupção passiva, violação de sigilo funcional, embaraço a investigações e lavagem de dinheiro;
  • Willer Tomaz de Souza (advogado): corrupção ativa, violação de sigilo funcional, embaraço a investigações e lavagem de dinheiro;
  • André Gustavo Vieira da Silva (publicitário): corrupção ativa e lavagem de dinheiro;
  • Juliano Costa Couto (presidente da OAB-DF): corrupção ativa e lavagem de dinheiro

>> Saiba mais abaixo as versões dos denunciados

No ano passado, já haviam sido denunciados por suposto vazamento de informações Ângelo Goulart Vilella e Willer Tomaz. Na ocasião, a denúncia foi apresentada ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região, com sede em São Paulo, onde Vilella atua.

Os dois chegaram a ser presos na Operação Patmos, da Polícia Federal, que também mirou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o presidente Michel Temer (a operação foi deflagrada após as delações premiadas de executivos da J&F).

O caso, contudo, saiu da Justiça de São Paulo porque o Supremo Tribunal Federal entendeu que os fatos se relacionam às atividades do procurador Ângelo Vilella em Brasília. Por isso, o MPF precisou reanalisar o caso e apresentou nova denúncia, incluindo mais pessoas e mais provas.

Segundo o Ministério Público, as pessoas denunciadas atuaram em conjunto para vazar informações com o objetivo de favorecer o grupo de Joesley Batista.

Entenda a denúncia

A denúncia apresentada ao TRF-1 afirma que, para corromper o procurador ângelo Goullart Vilella, a J&F ofereceu por meio dos acusados três vantagens indevidas:

  • Pagamento de cerca de R$ 1,2 milhão a Willer Tomaz, pela Eldorado Celulose (empresa do grupo J&F), sob pretexto de prestação de serviços de advocacia;
  • Pagamento de R$ 50 mil mensais como ajuda de custo;
  • Pagamento de percentual de êxito na redução dos valores de avaliação das ações da empresas Eldorado no âmbito da Operação Greenfield.

Ao todo, o valor pago pela J&F a título de propina foi, segundo a denúncia, de R$ 3,7 milhões, valor referente a um contrato fictício com Willer Tomaz – a remuneração ao procurador seria de um terço do valor total.

“Os denunciados Joesley Batista, Franciso de Assis e Silva e Willer Tomaz de Souza ocultaram e dissimularam a natureza criminosa , a movimentação e propriedade total dos valores, sendo 1/3 da vantagem financeira paga para remunerar a prática do crime de corrupção passiva por parte do procurador Ângelo Goulart verdadeiro proprietário e destinatário da quantia, outro 1/3 para André Gustavo que iniciou as tratativas de negociação ligando corruptores corrompido e 1/3 para Juliano Costa Couto, que impedido de atuar às claras seguiu o plano criminoso em comunhão de esforços com Willer Tomaz”, afirma a denúncia.

Ainda de acordo com o documento, Ângelo Vilella recebeu dinheiro da JBS para vazar informações da procuradoria para os investigados durante a apuração sobre fundos de pensão. Vilella integrava a força-tarefa e já havia sido denunciado.

O Ministério Público pede reparação de R$ 24 milhões.

Imunidade de delatores

A denúncia não leva em conta a imunidade concedida aos executivos da J&F que fecharam acordo delação premiada.

Pelos termos, homologados no ano passado pelo Supremo Tribunal Federal, os executivos não poderiam ser denunciados nem responder por crimes.

do G1

Compartilhar

O WP Cup ( Well Played Cup), maior campeonato Norte Nordeste de jogos eletrônicos vai acontecer em São Luís-MA

Prepare seu time! O Maior evento de GAMES que São Luís já viu!! Se preparem, para uma experiência única!!

Ótima notícia para os fãs de jogos eletrônicos: nos dias 31 de maio a 03 de junho, São Luís vai receber a primeira edição da Well Played Cup, maior competição de E-Sports Norte Nordeste. O torneio será realizado no São Luís Shopping e terá uma programação bastante extensa, com competições de League of legends, Dota 2, Counter Strike: Global offensive, Fifa 18 e Clash Royale.
O evento vai reunir alguns dos maiores influenciadores e atletas virtuais da atualidade, jogadores que são celebridades no mundo do E-Sport, como Danylo Nascimento (Kingrd), jogador da Pain Gaming e um dos maiores e melhores jogadores da história do Dota 2, além da dupla de casters do Dota 2, Renan Moura e Daniel Artioli. Quem também vai marcar presença no WP Cup é a dupla de casters de League of Legends, Flávio da Silva (P3po) e Luigi Mataratzis (Kaov), dois dos maiores nomes do LOL BR.

A narrativa vai ficar por conta da dupla de casters do CSGO, Tito e Bczz, duas personalidades bastante conhecidas no cenário brasileiro de eSports. O evento terá a presença de Daniel Cossi, presidente da Federação Brasileira de Desporto Eletrônico (CBDEL), entidade máxima do esporte eletrônico no Brasil.

Cerca de 50 times de todo o País já se inscreveram para disputar o campeonato.

Link das Inscrições: https://www.sympla.com.br/well-played-cup__277888

Premiação: League of Legends, CS:GO e Dota 2.
1º Lugar – R$2mil + Prêmios*
2º Lugar – R$700
3º Lugar – R$300
*Os prêmios serão divulgados em breve.
*Prêmio referente a cada Modalidade, totalizando mais de R$9 mil em premiação.
Premiação: FIFA18 e Clash Royale.
Compartilhar

Vilã ou heroína? A PM Kátia da Silva Sastre…. o que dizer?

A PM Kátia da Silva Sastre, do estado de São Paulo, protagonizou um dos eventos mais comentados na imprensa, na sociedade e, claro, nas redes sociais, neste final de semana.

À paisana, a PM reagiu a um assalto na cidade paulista de Suzano e disparou contra o assaltante, que morreu no hospital. O meliante já tinha passagem pela polícia, inclusive com acusação de ocultação de cadáver.

O ato da policial dividiu opiniões à esquerda e à direita do espectro politico nacional.

Pela lado das esquerdas, a ação da policial foi algo desumano, arriscado (pois colocou outras vidas em perigo) ou “uma carnificina”, como exagerou a colunista Nathalí Macedo no artigo “A mãe PM que matou um ladrão em Suzano e a espetacularização da irresponsabilidade”, publicado no site Diário do Centro do Mundo.

Já para os direitistas, a PM Kátia Sastre agiu corretamente mostrando que “ladrão bom é ladão morto” e coisas do tipo.

De uma forma ou de outra, esse episódio foi trágico em todos os aspectos.

Em primeiro lugar, revelou o quanto nós, cidadãos, pais e mães de famílias, nossos filhos etc.,  estamos vulneráveis à ações de marginais que não tem qualquer empatia pela vida alheia.

Em segundo lugar, serviu para mostrar o quanto também vivemos numa sociedade totalmente dividida entre os que ainda acreditam nas leis enquanto instrumentos para punir marginais e aqueles que defendem que justiça pode ser feita com as próprias mãos.

Em terceiro lugar, o evento mostra ainda como a sociedade está carente à procura de heróis e/ou heroínas, uma vez que não acredita mais no Estado enquanto ente que pode resolver os problemas que lhe afligem no cotidiano, como é o caso da falta de segurança nas cidades independente do tamanho delas – antes, apenas os grandes centros urbanos padeciam com a insegurança, atualmente qualquer cidade pelo Brasil afora está à mercê da marginalidade.

Mas, respondendo ao questionamento que dá titulo a este post, ou pelo menos tentando respondê-lo, penso que a brava policial militar Kátia da Silva Sastre não é nem vilã e nem heroína. Trata-se de tão somente uma cidadã que fez aquilo para o qual foi treinada, qual seja defender seus concidadãos. Agiu de forma não apenas corajosa, mas com muita competência e preparo técnico.

Se a mídia glamorizou o episódio isso é uma outra questão. E nesse particular tanto a mídia de direita quanto a de esquerda cometeram e cometem seus excessos.

Por fim, mas do qualquer coisa, Kátia da Silva Sastre, ou simplesmente PM Sastre, agiu como mãe quando estava se preparando para participar com a filha de um homenagem ao Dia das Mães.

Só isso já a coloca na condição, se não de heroína, na condição de uma “super mãe”.

Entre outras mães, filhas e inocentes que correram risco naquele fatídico dia, o desfecho do ocorrido foi melhor para as pessoas de bem.

Compartilhar

No dia das mães, HC Aldenora Bello chega a mais de R$ 1 milhão em repasses do Maracap

Recursos vêm sendo utilizados na ampliação do setor de radioterapia, que deverá zerar a fila do atendimento feito pelo SUS no Estado. Uma conquista inédita no país!
Mães, pais e filhos atendidos no Hospital do Câncer Aldenora Bello (HCAB), em São Luís/MA, começaram a semana com uma boa notícia. No último domingo (13), o vice-presidente da Fundação Antonio Dino, Antonio Dino Tavares, recebeu durante o programa especial do dia das mães, um cheque no valor de R$ 1.015.333,75, referente ao somatório dos repasses, feitos até esse final de semana, pelo Certificado de Contribuição Maracap.

Os recursos vêm sendo utilizados nas obras de construção e ampliação do setor de radioterapia, aquisição e instalação de nobreaks e mais três novos aceleradores nucleares, que são os principais equipamentos para o tratamento do câncer, portas de chumbo para evitar o vazamento da radiação e novos equipamentos para refrigeração dos aceleradores. Segundo Dino, os repasses contribuem ainda para as campanhas de rastreamento e prevenção do câncer do colo de útero, que são realizadas todos os sábados pelo HCAB.

“Agradecemos ao Maracap pelos repasses ao Hospital Aldenora Bello. Os recursos estão sendo utilizados na ampliação do setor de radioterapia e na modernização do atendimento à população”, disse Antonio Dino. Com a ampliação, o Maranhão deverá zerar a fila da radioterapia feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Hoje, o paciente chega a esperar de 9 a 12 meses para fazer a radioterapia no Estado pelo SUS. Com essa ampliação do setor a nossa meta é zerar a fila. Será uma conquista inédita no país”, disse o vice-presidente.

O programa especial do dia das mães começou com a entrega de flores às assistentes de palco, Marana Frazão e Geisa Miranda, e à apresentadora Carol Carvalho, em nome de todas as mamães. “Hoje é o domingo mais especial de todos. É emocionante comemorar essa data especial com a família Maracap fazendo esse repasse que ajuda a ampliar o trabalho do ‘Aldenora Bello’, disse Carol Carvalho. Jeisael Marx afirma que o HCAB presta um serviço excelente à população e precisa que toda a sociedade esteja de mãos dadas. “Fazer esse repasse, que chega a mais de R$ 1 milhão de reais ao Hospital, nos deixa muito emocionado. É gratificante saber que esse dinheiro ajuda centenas de pessoas que precisam fazer o tratamento de câncer”, disse o apresentador.

Compartilhar

Senador Roberto Rocha manifesta solidariedade à família do ex-governador Epitácio Cafeteira

O senador Roberto Rocha (PSDB) usou as redes sociais para solidarizar-se com a família do ex-governador Epitácio Cafeteira, que faleceu neste domingo (13), aos 93 anos.

“Cafeteira exerceu todos os cargos relevantes da política maranhense, deixando a lembrança de uma personalidade marcante, a inteligência vivaz, temperada por uma verve singular que marcou seu convívio com todos. Que Deus conforte sua esposa Isabel, a filha Janaína e familiares.”, postou o senador.

Cafeteira estava internado numa UTI na sua residência, em Brasília. Ele terminou seu último mandato como senador, em 2014, já muito debilitado e estava praticamente sobrevivendo através de aparelhos.

Além de ex-governador do Maranhão, Cafeteira foi também ex-senador, ex-prefeito de São Luís e ex-deputado federal.

Blog do Robert Lobato hipoteca solidariedade aos familiares desse que foi um dos maiores políticos maranhenses e talvez um dos mais populares dos últimos tempos.

Compartilhar

Mensagem de dia das Mães do advogado Márcio Endles

Mãe é a palavra que melhor define o amor. Desejo para todas as mães um excelente dia, hoje e sempre! Que todos e todas possam ter um pouco do que sempre tive com minha mãe, que foi e sempre será minha referência de amor, caridade, justiça, dignidade, cidadania e etc etc etc!

Obrigado por tudo mamãe e que todas as mamães sejam abençoadas todos os dias!!!
#MaranhãoMaisJusto
#JuntosPodemosMais
#MárcioEndles
Compartilhar

Roberto Rocha vai impetrar representação contra aplicativo calunioso

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) vai impetrar representação judicial contra o aplicativo “Detector de Corrupção”, por entender que é indevida a inclusão de seu nome, que não possui nenhum inquérito ou responde a processos na Justiça ligados à atos de corrupção.

“Dou um crédito de boa-fé aos autores do aplicativo, mas informo que tomarei medidas judiciais caso mantenham meu nome, associado a suspeitas de corrupção”, afirmou o senador, para quem o problema reside no fato do aplicativo não fazer distinção entre diferentes situações, como uma simples investigação, de ordem administrativa, de uma condenação em última instância.

O senador é citado em um único inquérito que trata sobre prestação de contas eleitorais de 2014, que já foi julgada e aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, inclusive com parecer favorável do Ministério Público.

“Trata-se de um caso de jus esperneandi, como dizem no meio jurídico, de um adversário político inconformado com a derrota. Como pode isso, que nada tem a ver com corrupção, estar sendo usado para denegrir o meu nome?”, afirmou.

A denúncia foi apresentada em 2017 contra Roberto Rocha, arquitetada por adversários políticos, apenas para buscar manchar uma biografia que não tem antecedentes de envolvimento com malfeitos.

O caso aguarda parecer da Procuradoria Geral da República, seguindo seu curso normal no sistema judiciário. Para o senador, “faz parte de um processo mais amplo de criminalização da política tentar jogar num mesmo cesto todos os políticos, como se uma simples investigação fosse igual a uma sentença. Dessa forma, esse aplicativo, que poderia ser uma boa ideia, acaba sendo um desserviço à pedagogia democrática da população”, concluiu o senador.

Compartilhar

HC Aldenora Bello chegará nesse domingo a mais de R$ 1 milhão em repasses do Maracap

Milhares de pacientes atendidos no Hospital do Câncer Aldenora Bello (HCAB), mantido pela Fundação Antonio Dino (Fad), terão um dia das mães muito especial. Na manhã desse domingo, 13, o vice-presidente da Fundação, Antonio Dino Tavares, participará ao vivo de uma conquista histórica para o referido Hospital. Será o repasse de mais de R$ 1 milhão de reais feito pelo Certificado de Contribuição Maracap.

Esse valor resulta da parceria firmada, em 2017, entre a Fundação e o Maracap e da soma dos repasses das 26 edições conjuntas realizadas. Participe também desse momento histórico! Em maio, são mais R$ 635 mil reais em premiações. Na edição dessa semana, o Maracap terá, só no 4º prêmio, o valor de R$ 200 mil, com dupla chance. Adquira o Maracap Especial Dia das Mães, ajude o Hospital Aldenora Bello com o repasse de mais de R$ 1 milhão e ainda concorra a essa super premiação.

Compartilhar