“Sou refém da minha biografia”, diz Madeira

Por Jonh Cutrim.

O ex-juiz federal José Carlos Madeira disse ontem, em entrevista ao programa “Passando a limpo”, da rádio Nova FM, que não rejeita apoios em seu projeto de pré-candidatura a prefeito de São Luís pelo Solidariedade. Pode ser de direita ou de esquerda, desde que o apoiador esteja na mesma frente de defesa por uma gestão com transparência, seriedade e eficiência. 

“Sou refém da minha biografia”, disse Madeira, ao ser questionado sobre a extensão desses apoios. “Não estou entrando na política agora para negar toda a minha história que construí com muito zelo e sacrifício. Não posso agora desdizer o que preguei a minha vida inteira”. 

Madeira esclareceu aos entrevistadores Diego Emir, Oswaldo Maia e Adriana Nogueira que veio da periferia e que dela nunca se afastou. E fez questão de frisar que tem uma posição – e que muitos já a conhecem – de defesa intransigente da justiça social, da eficiência e da transparência. “Aquele que entender que é possível caminhar comigo comungando desta mesma posição, sempre numa perspectiva republicana, então será um apoio bem-vindo”.

Com essas declarações, Madeira dá sinais de que tem dialogado com partidos de diferentes bandeiras nesse período de pré-campanha, “sem qualquer resistência”. Ele avalia que, de agora até o prazo final das convenções, muita coisa ainda pode acontecer.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *