Veja o que a Globo está fazendo para atrair mais gente nos protestos contra a presidente Dilma e o governo do PT

A direção de jornalismo da Globo já convocou jornalistas para fazer cobertura ao vivo dos atos desde o domingo cedo. E já teria informado que vai usar o Globo Notícia para criar um clima mais quente da cobertura.

O Globo Notícia, para quem não sabe exatamente do que se trata, é aquele expediente que a emissora que apoiou o golpe de 64 utiliza em momentos raros. No meio da programação surge aquela musiquinha em clima de emergência e algum âncora de plantão narra a notícia grave.

Foi assim, por exemplo, na morte de Tancredo, que aconteceu num domingo, em meio a um Fantástico.

A Globo não faz isso em eventos.

Mas já fez algo bastante semelhante em 20 de junho de 2013, quando exibiu flashes dos protestos desde às 15h45.

Naquele dia, a Globo deixou de transmitir a Copa das Confederações, porque a a Fifa não permitia interrupções nas transmissões dos jogos.

Surpreendendo a muitas pessoas, a Globo ainda decidiu priorizar a transmissão dos protestos e não transmitiu as novelas Flor do Caribe e Sangue Bom.

Às 19h30, Bonner, substituiu Patrícia Poeta na narração do ato e anunciou o início do Jornal Nacional uma hora mais tarde (no horário de costume) sem escalada de manchetes.
A Globo e seus repórteres focaram a cobertura do ato destacando a rejeição a PEC 37. 
Como se todos que estivessem na Paulista naquele dia tivessem ido com aquele objetivo.

Ao convocar seus repórteres para fazer essa cobertura no domingo a Globo vai buscar levar mais gente aos atos. É claramente essa a estratégia. E, claro, vai chamar o ato buscando destacar o movimento pró-impeachment de Dilma.

Se o governo não fizer nada contra isso, estará aceitando que a Globo lidere uma tentativa de golpe midiático.

Em abril de 2001, Gustavo Cisneros fez exatamente isso na Venezuela. E além da cobertura-convocatória ao vivo das manifestações, surgiram cadáveres atingidos por franco-atiradores.

Esse blogueiro tem ojeriza a alarmismo, mas os responsáveis pelo jornalismo da Globo sabem exatamente onde a entrada de uma concessão pública com a força de audiência da emissora pode fazer as coisas chegarem.

E se faltava algum ingrediente para as manifestações de domingo ligarem o alerta máximo. Essa provocação da Globo é a gota d´água.

blog de Francisco Castro
Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *