Wellington e Detinha seguem ameaçados de deixar eleição

Por Marco Aurélio D´eça.

Candidatos não têm a garantia consolidada dos seus partidos para concorrer à Prefeitura de São Luís, o que pode reduzir para 11 a lista de candidatos na capital maranhense; e os dois têm na campanha de Eduardo Braide o destino cobiçado por suas legendas

Atualmente com 13 pré-candidatos, a corrida pela sucessão do prefeito Edivaldo Júnior pode ser reduzida a 11 nomes.

Dois deles – Wellington do Curso (PSDB) e Deputada Detinha (PL) – seguem realizando eventos de campanha, mas ainda não têm a garantia consolidada de seus partidos.

E os dois correm risco pelo mesmo motivo.

Tanto o PSDB, de Wellington, quanto o PL de Detinha querem aliança com o deputado federal Eduardo Braide (Podemos), que lidera todas as pesquisas.

No caso de Wellington, o senador Roberto Rocha, que controla o partido, já falou publicamente não uma, mas várias vezes, sobre o desejo de formar uma ampla coligação que ajude Braide a vencer em primeiro turno.

Controlador do PL – e também do Avante e do Patriotas – o deputado federal Josimar de Maranhãozinho, marido de Detinha, reafirma dia após dia a candidatura da mulher, mas negocia com outros candidatos nos bastidores desde que a lançou.

Todas as legendas e pré-candidatos envolvidos na disputa em São Luís já definiram datas das convenções.

Mas os partidos ligados a Wellington e Detinha seguem sem definição…

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *